Quais são os principais tipos de criptografia? Entenda a função

tipos-de-criptografia

O uso de novas tecnologias, da internet e as trocas de informação online exigiram um foco grande em relação à segurança de dados. Por isso, surgiram tipos de criptografia diferentes que protegem desde compras online até as blockchains de criptomoedas.

Só no Brasil, em 2021, foram 88,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos, um aumento de 950% na comparação com 2020, segundo dados da Fortinet®.

Por isso, a criptografia é um recurso indispensável de qualquer sistema digital que faz troca de informações pessoais e financeiras.

Já ouviu falar, mas quer entender melhor como funcionam os tipos de criptografia? Continue a leitura do artigo e entenda tudo sobre o tema.

O que é a criptografia?

A criptografia é um conjunto de recursos de tecnologia aplicado para proteger e evitar que dados armazenados em um sistema ou programa sejam acessados, vistos e transmitidos por terceiros.

Ou seja, a criptografia de dados é aplicada na segurança de dados para que as ferramentas digitais preservem sua integridade e ofereçam confidencialidade às informações dos usuários.

É dessa forma que o WhatsApp garante que as mensagens trocadas entre um usuário e outro não corra risco de vazamento por causa da criptografia de ponta a ponta adotada pela plataforma.

Nas blockchains, as transações processadas também são protegidas para que nenhuma informação ou carteira seja atacada enquanto realiza sua função.

Qual a importância de criptografar informações?

Os ataques cibernéticos não visam apenas o roubo de dados dos usuários, muitos hackers querem roubar documentos importantes de empresas e também de governos ou contas digitais em bancos ou em exchanges de criptomoedas, atrás do dinheiro de seus donos.

Por isso, os protocolos de segurança dos tipos de criptografia são tão importantes, pois são esses recursos que garantem a proteção e o sigilo dos dados.

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que já está em vigor no país, exige que todas as empresas assegurem a privacidade dos clientes, repassando ou utilizando internamente as informações coletadas, apenas quando for concedida autorização.

Sem essa barreira, não existe impedimento para que os hackers acessem sistemas e roubem informações estratégicas.

Então, na hora de escolher uma ferramenta digital para montar um banco de dados na nuvem ou um sistema de gestão, é preciso checar qual o nível de proteção e as soluções de criptografia utilizadas.

Quais são os principais tipos de criptografia?

Mas como saber se uma solução é realmente segura? Para isso, é preciso conhecer os principais tipos de criptografia existentes para checá-las pelo nome. Veja a lista completa e como funciona cada um:

1. Data Encryption Standard (DES)

Um dos tipos de criptografia pioneiros do mercado, o Data Encryption Standard (DES) é classificado com um nível de proteção básico, pois possui apenas 56 bits, o que é considerado pouco, já que existem os que operam com 128 e 256 bits.

Via de regra, o tamanho das chaves e o grau de complexidade de uma solução de criptografia é medido em bits. Então, quanto maior a quantidade de bits, maior é o número de chaves e maior é a segurança oferecida.

No caso do DES, o algoritmo executa 16 ciclos de codificação para proteger os dados. Porém, sua engenharia pode ser quebrada por programas que utilizam força bruta que faz a checagem da chave por horas e de forma automática. 

Por isso, os sistemas que usam DES precisam de outros tipos de criptografia mais complexos.

2. DESX

O DESX, o segundo tipo de criptografia da nossa lista, também foi desenvolvido a partir do DES. Para ter mais eficácia de proteção, sua estrutura adiciona 64 bits antes de fazer a encriptação, totalizando 120 bits de carreira contra os programas de força bruta.

É considerado uma criptografia simples, mas que consegue chegar em um nível de eficiência grande, sem precisar de uma configuração complexa. 

A única desvantagem do DESX é que a criptografia pode ser quebrada com a ação de outros ataques mais sofisticados como criptoanálises.

3. Triple DES (3DES)

Pelo nome, dá para associar que o Triple DES (3DES) foi um tipo de criptografia criado para ocupar o lugar do DES, trazendo as melhorias que o antecessor não oferecia.

Como os hackers conseguiram burlar o DES sem fazer muito esforço, o 3DES trouxe uma estrutura de criptografia que trabalha com três chaves de 56 bits, oferecendo uma proteção total de 168 bits.

Esse total de bits é mais que suficiente para oferecer uma proteção robusta, pois geralmente os especialistas recomendam, no mínimo, 112 bits.

4. Advanced Encryption Standard (AES) 

O Advanced Encryption Standard (AES) é nada mais nada menos que o tipo de criptografia padrão utilizado em todos os sistemas do governo norte-americano.

O Padrão de Criptografia Avançada, na tradução do nome para português, opera no formato de 128 bits, mas também suporta a utilização de chaves de 192 bits e 256 bits, aplicadas nos bancos de dados altamente confidenciais.

Essa escalabilidade, faz desse modelo de criptografia bastante confiável e imune a ataques comuns. Porém, as ações maliciosas que utilizam força bruta ainda conseguem atacar, mas o sucesso em sistemas protegidos por essa quantidade de chaves é extremamente improvável.

5. Secure and Fast Encryption Routine (SAFER)

O quinto tipo de criptografia utilizado no mercado é o Secure and Fast Encryption Routine, também chamado de SAFER. Seus blocos possuem criptografia de 64 bits, porém já foram identificadas muitas vulnerabilidades nessa opção inicial.

Por isso, foram desenvolvidas novas versões com tamanho de chave maiores que são o SK-40 e SK-128 bits.

6. Camellia

O Camellia é outro tipo de criptografia que oferece um padrão de proteção e segurança próximo ao AES. O sistema opera em blocos de dados que podem ser processados em 128, 192 ou 256 bits, conforme o necessário.

É utilizado para proteção de softwares, hardwares e em outros componentes eletrônicos simples como smartcards e PCs de mesa de 32 bits. 

7. Internacional Encryption Algorithm (IDEA)

Fechando nossa lista de tipos de criptografia, temos o Internacional Encryption Algorithm (IDEA) que possui um formato em blocos de 64 bits com chaves operando com 128 bits.

Para proteger as informações, o algoritmo cifra os dados embaralhando as informações e impedindo que seja possível vê-las na ordem correta.

Priorize sistema com transações criptografadas

Tanto para trocar informações quanto para movimentar dinheiro em operações financeiras, checar se existe algum tipo de criptografia é essencial para que as transações sejam 100% seguras.

No mercado de criptomoedas, a segurança é garantida pelos algoritmos de criptografia, o que torna os sistemas dos blockchains mais confiáveis. Já pensou em movimentar seu dinheiro por lá? 

Para começar com segurança, procure uma exchange de criptomoedas (ou corretora) que é a responsável por possibilitar a compra, venda e armazenamento de criptoativos.

A Bitso é uma exchange de criptomoedas internacional que permite fazer transações em poucos minutos e com muita segurança.

A partir de R$ 25, você pode começar a explorar o mundo dos ativos digitais hoje mesmo. Como fazer isso? Acesse agora mesmo o site da Bitso ou baixe o app, disponível para Android e iOS, crie a sua conta e junte-se aos mais de 4 milhões de clientes da nossa plataforma.

Quer ficar expert no mundo das cripto? No Blog da Bitso, você tem acesso fácil a esse tipo de informação e muito mais relacionado ao mundo das criptomoedas.

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.