Moedas digitais: TUDO o que você precisa saber sobre esses ativos

Moedas no espaço para ilustrar artigo sobre moedas digitais

Com certeza, você já ouviu esta frase de um conhecido programa de televisão: “o que comem, onde vivem, como se reproduzem”, não é mesmo? Hoje, vamos aplicar esse bordão às moedas digitais e trazer todas as informações que você precisa saber sobre elas.

Para começarmos, segue a definição do conceito: moedas digitais são ativos financeiros similares a dinheiro (ou seja, têm valor monetário), com a diferença que todo o seu ciclo acontece em ambiente virtual.

Em outras palavras, tratam-se de moedas, semelhantes às tradicionais, mas que não têm nem forma, nem apresentação física. Compra, venda, troca, gerenciamento, armazenamento, definição de valor, tudo acontece na web.

Então, quer dizer que moedas digitais são o mesmo que criptomoedas?” Isso mesmo! Mas aqui tem um detalhe muito importante que você precisa saber: toda cripto é uma moeda digital, mas nem toda moeda digital é uma cripto.

Hummm, complicou? Não se preocupe! Continue a leitura que explicaremos isso e muito mais sobre o universo dos ativos digitais.

O que são moedas digitais?

Também chamadas de ativos digitais, moedas virtuais ou moedas eletrônicas, as moedas digitais podem ser definidas como uma espécie de dinheiro, assim como o que conhecemos e usamos no mundo físico, mas que são criadas e movimentadas virtualmente.

E como dissemos, nem toda moeda digital é uma criptomoeda, mas toda criptomoeda é uma moeda digital. 

O motivo dessa diferenciação é que o termo “moeda digital” pode ser aplicado mais amplamente, inclusive para definir o dinheiro digital de um país, o qual é regulamentado pelo seu banco central.

as criptomoedas têm como principal característica serem descentralizadas. Isso quer dizer que esses ativos também funcionam em ambiente virtual, porém, não pertencem a nenhuma entidade específica que a emite e/ou controla, mas, sim, à sua comunidade. 

Todas as suas operações são registradas em blockchain (explicamos mais logo adiante) e elas são criptografadas, ou seja, cifradas para ocultar os seus dados.

Moeda digital brasileira 

Para deixar o conceito mais claro, falaremos um pouco sobre a proposta de uma moeda digital brasileira.

Considerando as transformações digitais que estão alterando a forma de atuação do mercado financeiro, o Banco Central do Brasil estuda a criação do chamado Real Digital que, na prática, é uma apresentação eletrônica do dinheiro que utilizamos atualmente no nosso país.

O Real Digital terá a mesma aplicação do dinheiro em espécie, ou seja, será usado para compras, pagamentos, investimentos, aplicações etc. A grande diferença é que ele não será impresso.

Justamente por ser emitida, regulamentada e ter o seu valor definido pelo Banco Central, a moeda digital brasileira perde as características de uma criptomoeda, a qual não tem uma autoridade monetária no controle.

Como funcionam as moedas digitais? 

Mas o nosso foco aqui é falarmos com você sobre as moedas digitais que são criptos, certo? Por isso, partimos agora para a maneira como elas funcionam.

As principais características de uma criptomoeda é que ela:

  • independe de governos e bancos para existir;
  • é um ativo internacional, o que quer dizer que não pertence a um país em especial e que pode ser usada e comercializada em qualquer lugar do mundo que a aceite;
  • é 100% digital e operacionalizada em código aberto.

Quando se ouve essa expressão “código aberto”, a primeira impressão que se tem é de falta de segurança. Porém, a realidade é justamente contrária a essa percepção.

Como dissemos, todas as movimentações das criptomoedas são registradas em blockchain, que podem ser descritos como um tipo de livro-razão eletrônico de domínio público.

Em resumo, blockchain é um protocolo de segurança, cuja rede é formada por conjuntos de códigos, chamados blocos (daí o nome), os quais se conectam entre si. Esses blocos armazenam todas as informações sobre as criptomoedas e as transações realizadas. 

A segurança desse processo está no fato que, mesmo que um bloco seja acessado indevidamente, para que possa ser usado de alguma forma, é preciso quebrar a criptografia de todos os outros que estão conectados a ele. 

A definição de preço das criptos

Uma informação bem importante que você precisa ter é que o preço das criptos é volátil. Na prática, isso quer dizer que seu preço oscila constantemente.

Os preços das criptomoedas variam com base em fatores como:

  • oferta e demanda;
  • tecnologia utilizada;
  • escassez do ativo digital;
  • eventos externos

Assim, se consultar o valor de uma moeda virtual hoje, é bastante provável (quase que certo), que daqui a pouco ela terá outra cotação. Por isso, quem quer fazer parte desse universo precisa acompanhar as suas mudanças de perto. 

Quais são as principais criptomoedas existentes?

Quando se fala em criptomoedas, o primeiro nome que surge na mente é o Bitcoin, o que é totalmente compreensível. Afinal, essa é a primeira cripto do mundo, por conta disso, a mais comentada, utilizada e valorizada.

Porém, existem muitas outras (mas muitas outras mesmo!). De acordo com o site Investopedia, já existem mais de 10 mil criptomoedas em todo o mundo. 

Entre moedas digitais criptografadas e tokens, que são representações de um ativo digital em uma rede blockchain, algumas que se destacam são:

  • Bitcoin: considerada uma das mais importantes por ser a primeira cripto do mundo;
  • Ether: segundo lugar no ranking das principais moedas digitais, seu diferencial tende a ser o preço (menor que do BTC) e o fato que seu foco é o crescimento da plataforma Ethereum;
  • XRP: moeda digital criada com o objetivo de ser uma alternativa mais rápida, escalonável e barata em comparação a outros ativos digitais;
  • Litecoin: vista com a prata das criptomoedas, a LTC entra na lista das principais por ter uma taxa de geração de blocos mais rápida que o Bitcoin e por ser usada como um meio de pagamento;
  • Bitcoin Cash: uma bifurcação do Bitcoin, se torna interessante por ter mais escalabilidade que a sua originária;
  • TrueUSD: token ERC20, baseado na rede Ethereum, cuja cotação é pareada 1:1 com o dólar, tornando seu custo de transação atrativo;
  • Aave: moeda de governança que também permite a obtenção de empréstimos na rede, dando diferentes oportunidades para quem empresta valores;
  • Axie Infinity: o token AXS é a cripto interna desse jogo virtual, e tem como objetivo despertar o interesse dos jogadores pelo game; 
  • BAT: token do navegador Brave que remunera as interações dos usuários com anúncios online;
  • Chiliz: token direcionado para os amantes de esportes, principalmente futebol, que também dá direito aos seus detentores votar em decisões e ter acesso a benefícios e produtos exclusivos;
  • Compound: protocolo de empréstimo DeFi, possibilita que seus detentores recebam juros ao aplicar essa cripto em plataformas de câmbio;
  • DAI: moeda digital estável, cujo lastro de equiparação é o dólar americano, o que diminui sua volatilidade e a torna interessante;
  • Chainlink Token: LINK não pode ser minerado, e é usado como forma de pagamento dos operadores de nós da rede Chainlink; 
  • MANA: também um token, ganhou destaque após a repercussão do metaverso, visto que é usado, principalmente, para compra de terrenos e itens colecionáveis nesse mundo virtual;
  • Uniswap: projeto de finanças descentralizadas, trata-se de um token de governança de uma exchange descentralizada (DEX);
  • Cardano: esse token se destaca por sua mineração usar o processo de “prova de aposta”, o que demanda bem menos consumo de energia;
  • Polkadot: criptomoeda PoS que tem como objetivo garantir a interoperabilidade entre blockchains;
  • Solana: seu protocolo permite maior escalabilidade, o que tende a aumentar o seu uso;
  • Dogecoin: também considerada uma “memecoin” por usar a imagem do Shiba Inu como avatar, a DOGE tem como diferencial o fato de ser aceita como meio de pagamento por grandes empresas; 
  • Tether: outra moeda digital estável equiparada ao dólar americano, a USDT se destaca por poder ser usada como uma reserva de valor.

Como elas impactam o mercado financeiro atualmente? 

As criptomoedas podem ser usadas para finalidades semelhantes aos do dinheiro em espécie, tais como para transações comerciais — o artigo “O que posso comprar com criptomoedas? 11 formas de gastar seus ativos digitais” explica mais sobre isso!

Justamente por conta da sua aplicação, que vai muito além de simples troca entre diferentes tipos e guarda para venda futura, é possível dizer que essas moedas digitais já fazem parte do mercado financeiro de todo o mundo.

Além disso, elas podem ser vistas como parte do processo de digitalização do dinheiro e da melhoria dos serviços financeiros oferecidos. 

Um bom exemplo disso são anúncios de empresas de pagamentos (bandeiras de cartões) que estão implementando medidas para que as criptos passem a fazer parte da sua rede. Dessa forma, será possível, por exemplo, utilizar esse ativo digital da mesma maneira que usamos cartões de débito atualmente.

Com isso, pode-se dizer que as criptomoedas são importantes e fazem parte do futuro dos produtos financeiros. Entre as vantagens que mais se destacam, estão:

  • são um ativo descentralizado, no qual a pessoa tem total controle das suas operações e transações;
  • estão inseridas em uma rede segura;
  • de modo geral, as taxas de movimentação são baixas, em comparação aos serviços financeiros tradicionais;
  • podem ser utilizadas para comprar diferentes produtos e serviços, tanto no mundo físico quanto no virtual;
  • são democráticas e inclusivas, pois permitem o acesso de diferentes grupos de pessoas. 

Como e onde comprar moeda digital?

Achou tudo isso interessante e quer fazer parte desse universo? Então, resta apenas saber como e onde comprar moeda digital, certo?

Existem algumas maneiras de fazer isso, tais como em negociações diretas (P2P, de pessoa para pessoa), ou por uma exchange.

Nas transações diretas entre duas pessoas, há risco, tais como pagar por um ativo digital e não receber, Já nas exchanges, que são empresas que facilitam a compra, venda e guarda de moedas virtuais, todo o processo é feito pela plataforma, com total segurança.

A Bitso é uma exchange internacional com milhões de pessoas cadastradas e mais de 27 milhões de operações já realizadas. 

Com apenas R$25, você pode comprar Bitcoin, Ether, Litecoin, TrueUSD ou outras criptomoedas e tokens.

Quer saber como funciona? Acesse agora o site da Bitso e confira!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.