Conheça os principais tipos de ordem de mercado. Você usa alguma delas na hora de negociar?

Todas as vezes que você se relaciona com algum mercado de compra e venda, faz isso por meio das chamadas ordens, que são os “comandos” que você envia deixando clara quais são as suas ações desejadas em relação aos itens ali presentes.

Se ficou parecendo grego, pense de maneira mais direta: relacionando-se com um mercado, você compra ou vende solicitando para a plataforma através de ordens. Todas essas ordens juntas formam o chamado order book, que é uma fonte de informações bastante importante para que as pessoas verifiquem preços e interesse de compra e venda de um ativo em um mercado, inclusive das criptomoedas.

Antes mesmo de partirmos para o assunto principal, que são os tipos de ordem mais importantes, cabe apontar duas coisas importantes: 

  • Em primeiro lugar, elas são importantes para quem acaba se relacionando com os mercados de maneira mais dinâmica, comprando e vendendo com maior frequência (que são os chamados traders);
  • Como segundo aspecto importante, independente de você ter essa relação mais dinâmica com os mercados ou não, entender sobre os tipos de ordem ajuda a tomar melhores decisões todas as vezes que você decidir traçar alguma estratégia em relação a compra ou venda de algum ativo disponível em algum mercado.

Independente de qual dos dois motivos mais te chame a atenção e tenha relação com o modo como você interage com mercados, preste muita atenção nos tipos de ordem para tomar decisões mais acertadas e traçar estratégias com mais lógica, combinado?

Os quatro tipos de ordem mais relevantes que existem

Possivelmente você está diante de um dos artigos aqui do Blog que mais focam em apresentar exemplos para deixar direta a explicação. Definições são importantes e ajudam, mas em situações em que temos uma aplicabilidade prática tão presente, fica mais bem fácil entender quando utilizamos exemplos. 

Vamos então aos tipos de ordem e seus respectivos exemplos.

Ordem a mercado

A expressão “a mercado” costuma quase sempre ter uma explicação bastante direta: alguma situação em que se deseja executar uma operação no tempo presente e com as condições presentes. Ou, em bom português: quando se solicita uma ordem a mercado isso significa que você está pedindo para comprar ou vender algum ativo naquele momento e com preço estabelecido.

Mais diretamente ainda: pedir uma ordem dessa forma é pedir uma execução de ordem imediata.

Podemos exemplificar essa ordem como aquele momento em que você entra numa corretora, procura o ticker de uma ação determinada que está cotada a R$20,15 e diz “comprar agora”, digitando logo o preço que deseja pagar. Neste caso, quanto mais próximo do preço de mercado, mais rápido a ordem será executada.

Importante ter em mente que quanto mais próximo do preço de mercado mais rápida a ordem será executada porque, tal qual vimos na formação do order book, para que uma operação seja fechada é preciso que a ponta vendedora encontre a ponta compradora em um mesmo preço. Se a ação está cotada a R$20,15 e você colocar uma ordem a mercado muito menor, por exemplo de R$2,00, pode ser que sua ordem fique muito tempo aberta e sequer seja executada.

Se a situação fosse contrária, de uma ordem a mercado para venda de uma ação, a mesma possibilidade de “ordem que fica parada” poderia acontecer: uma ação cotada a R$20,15 se receber uma ordem de venda muito superior, por exemplo a R$35,00, pode ficar ali parada por não encontrar ponta compradora que pague esse preço.

Quando falamos de ordem a mercado não podemos nos esquecer de dois detalhes importantes: ela é solicitada no tempo presente para execução imediata, mas pode ficar a ver navios caso esteja em um preço muito diferente do que o mercado espera e, no fim das contas, não encontre a ponta que fecha a operação.

Ordens stop loss e stop gain

Quando se observa o campo dos mercados com olhar mais estratégico, as operações não ficam apenas sujeitas ao tempo – o famoso “vou comprar esse papel e esperar valorizar sem ficar olhando” -, mas sim acabam tendo gatilhos associados a preços muito bem estabelecidos. Esse tipo de ordem tem tudo a ver com esses gatilhos de preço.

Ordem stop loss é aquela em que, logo que você começa a operação, já sinaliza em termos de cotação até qual limite aceita ir e, chegando a esse limite, a operação é executada automaticamente para evitar que perdas maiores aconteçam. Ou, por outro lado, é possível que você controle o ganho máximo de uma operação, também com base nessa limitação de preço.

Pelo lado da limitação das perdas, funciona assim: pense naquela mesma ação do exemplo anterior, cotada a R$20,15. Estabelecer uma ordem de stop loss de 20% significa colocar como parâmetro de venda automática caso a ação caia o suficiente para chegar na cotação de R$16,12 (20% menor que R$20,15).

Já quando olhamos a respeito do ganho, imagine que para essa mesma ação seu objetivo é encerrar a operação quando o ganho bater 20%, independente de quando acontecer. Na prática, estabelecer esse stop gain significa que, caso a cotação chegue a R$20,18 (20% acima de R$20,15), a ação será automaticamente vendida. 

Note que, diferente da ordem a mercado, essa é uma operação que não é imediata, pois para ser executada depende de parâmetros que podem demorar dias, horas ou até semanas para acontecerem de fato.

Tanto stop loss quanto stop gain são dois tipos de ordem que representam dois lados de uma mesma moeda: o controle psicológico e estratégico diante de operações de mercado. Com elas, você pode evitar que em um cenário de grande perda as perdas sejam ainda maiores ou em uma grande alta reduzir as ilusões de ter encontrado “o novo ouro dos tempos modernos”.

Esses dois gatilhos de preço acabam trazendo um pouco mais de segurança para operações em mercado que, na imensa maioria das vezes, podem acabar trazendo problemas a quem se deixa levar puramente pela emoção nas tomadas de decisões sem o estabelecimento desses parâmetros de controle.

Ordem casada

Esse é o tipo de ordem mais diretamente relacionado a quem tem estratégia de trade bem montada, porque é a definição de duas operações inversas entre si em um momento inicial. Ou, mais diretamente: logo que você entra na operação já afirma que haverá uma compra e uma venda, uma após a outra (independente da que vier primeiro).

Nesse tipo de ordem a expectativa de quem a executa é justamente ter em mente qual será o caminho percorrido por aquela cotação e ter um ganho específico com aquilo que se tem razoável certeza.

Um exemplo bastante didático, também levando em conta nossa ação modelo cotada a R$20,15 mas agora no tipo de ordem casada, seria posicionar que você deseja comprar a R$20,18 no momento atual e que ela seja vendida assim que alcançar R$21,15. 

Veja: nessa ordem já fica estipulado desde o começo que a operação contrária ao que se solicitou no início irá acontecer – e é por isso que esse tipo é conhecido como ordem casada.

Ordens start e limitada

Nestes dois tipos, o que acontece é que a pessoa posiciona o início de uma operação condicionando a um preço específico (no caso da start) ou a um valor total conhecido (no caso da limitada). A única diferença entre as duas é o gatilho que inicia a operação, mas nos dois casos, atingindo-se essa marca, a operação é executada.

Pegando nossa ação modelo de R$20,15, uma ordem start colocada a R$20,03 significa que, assim que chegar a esse valor, a execução irá ocorrer; já quando falamos da limitada, imagine por exemplo que quando um lote de 200 ações chegar ao valor de R$4.006,00 (o que também dá R$20,03 por ação) essa operação é executada.

Bom lembrar que ordens limitadas não se restringem a lotes, podem também estar presentes no mercado fracionário se a pessoa assim desejar.

A diferença entre as duas é sutil, mas decidimos aqui agrupar ambas em um mesmo tipo porque o mecanismo básico que as faz existir é o mesmo: chegar a um determinado patamar de preço ou valor total dispara a execução da operação.

Tipos de ordem e o mercado cripto: conheça o Bitso Alpha!

Tendo conhecido os tipos mais relevantes de ordem que existem, agora vale te contar uma informação interessante: sendo do seu interesse realizar trade com criptomoedas, você pode executar algumas dessas estratégias dentro da plataforma da Bitso, através do Bitso Alpha.

Se através da exchange você consegue comprar e vender criptomoedas para tê-las em sua carteira, a diferença do Bitso Alpha é que nessa plataforma você entra justamente para realizar trades com criptomoedas, colocando em prática algumas das possibilidades trazidas aqui neste artigo.

Vale sempre apontarmos que a realização de trade com criptomoedas é uma atividade um pouco mais sofisticada do que a compra e venda delas e, para tanto, demanda mais cuidado e atenção com os projetos que forem escolhidos e com a estratégia que se pretende seguir.

Em todo caso, sendo seu interesse tornar realidade tipos de ordens como os que você aprendeu que existem aqui neste artigo, com o Bitso Alpha você pode fazer exatamente isso com criptomoedas.

Ah, e claro, não deixe de saber mais sobre projetos e muitos outros aspectos relevantes do universo cripto (como os que te trouxemos neste artigo) aqui no Blog da Bitso!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.