Símbolo de USDT para ajudar a explicar o que é Tether USD

O que é Tether? Tudo o que você precisa saber sobre esta Stablecoin

As criptomoedas observaram uma evolução de seus preços no mínimo empolgante nos últimos anos. Com a maior curiosidade e facilidade na compra dessas moedas, a oscilação de preços sempre foi um fator que chamou a atenção no mercado. 

Se muita gente ressalta as altas, é importante lembrar dos períodos de baixa, que não foram poucos e por vezes duraram um período prolongado. Esse é o comportamento normal do mercado de criptomoedas (sejam elas altcoins, memecoins ou mesmo o Bitcoin), mas há uma categoria de moedas digitais que não apresenta oscilações de preço, por serem lastreadas em ativos reais, como o dólar, o euro, o ouro e muitos outros.

São as stablecoins, que começaram a circular em meados de 2014, 5 anos depois do surgimento da Bitcoin. 

Nesse texto você vai entender tudo sobre o que é Tether (USDT), para que serve, qual é o seu valor atual, e muitos outros detalhes da primeira stablecoin distribuída no mundo cripto e que hoje ocupa posição de destaque considerando o valor de mercado das criptomoedas. Vamos lá!

O que é Tether USD?

Tether é uma stablecoin lastreada no dólar americano (USD). Funciona assim: para cada unidade de USDT emitida, uma unidade de dólar deve ser guardada em uma reserva física gerenciada pelo emissor da criptomoeda. 

É parecido com o modelo do padrão-ouro, que perdurou na Europa até meados de 1970, mas em vez de ouro, o “banco” guarda dólares como lastro. Isso dá mais confiabilidade ao mercado, que passa a contar com um ativo real fornecendo o lastro para a moeda digital.

O fato de ser uma stablecoin 1:1 dá poder de previsibilidade na cotação da moeda no dia seguinte ou mesmo em prazos mais longos. É difícil observamos uma valorização ou desvalorização da moeda americana em períodos curtos de tempo, e por isso que a Tether é muitas vezes a criptomoeda escolhida para comprar ou vender Bitcoin, altcoins ou outros tipos de moedas digitais. 

Então, resumindo: 1 Tether (USDT) = 1 US$ em 99% das vezes. Em momentos de alta demanda ou oferta dessa stablecoin, podem ser observadas oscilações no pareamento dos valores, sendo que a cotação pode mostrar 1,01, 0,99 ou, ainda, em momentos extremos, até 5% de oscilação para cima ou para baixo.

Depois de a poeira baixar, as reservas de lastro físico são ajustadas (o emissor vende ou compra dólares) e rapidamente o preço caminha para a paridade 1:1.

Como comprar Tether USD?

Agora que a sua curiosidade foi atiçada com todas as possibilidades que envolvem a obtenção de uma stablecoin, chegou a hora de entender como comprar Tether USD.

A forma mais óbvia de adquirir uma unidade de USDT é por meio de uma corretora de criptomoedas, como é o caso da Bitso.

De forma simples, ao depositar reais (BRL, moeda fiduciária) na sua carteira, é possível comprar Tether fazendo a conversão do valor que você tem em reais para a stablecoin. A partir daí, é possível manter essa cripto em carteira e carregar como se fosse uma reserva em dólares. 

A diferença é que, em vez de ficar com as notas físicas, você tem um token que é lastreado em cédulas guardadas em um banco. Uma outra coisa que pode ser feita é trocar essa stablecoin por outras criptomoedas, devido à grande possibilidade de taxas de câmbio entre moedas que a Tether faz parte.

Outra forma de comprar Tether USD é por meio das operações Peer to Peer (P2P), na qual a transação é feita diretamente entre duas partes, sem ser intermediada por uma corretora.

Esse tipo de operação deve ser feita com cautela, pois, sem a figura de uma contraparte, o fator confiança é determinante para que uma facilidade não vire um pesadelo. Então, de olho nisso, combinado?

As vantagens (e as desvantagens) de ter Tether na carteira

Em um mundo cada vez mais globalizado, é um grande erro apostar todas as fichas em ativos de uma mesma moeda fiduciária, não é mesmo? Crises econômicas e caos no cenário político tem o poder destrutivo de derreter o valor de uma moeda, e isso na prática significa que podemos ficar mais pobres em comparação com o resto do mundo. Qualquer semelhança com o Brasil é mera coincidência, tá?


Por esse motivo, muita gente diversifica seus ativos em mais de um país, justamente para não ficar exposto a oscilações de uma moeda fiduciária. O dólar é uma moeda considerada segura, valorizada e que tem como lastro a própria economia americana, que corresponde a aproximadamente 25% de toda a produção mundial

Antigamente, para ter dólares, era preciso comprar a moeda americana na casa de câmbio, verificar se as cédulas eram verdadeiras, transportar o dinheiro e trancar a sete chaves (ou colocar debaixo do colchão). Muita gente ainda acumulava dólares para uma viagem de lazer, para um sonho de estudar fora e muitos outros objetivos.

Hoje, com as stablecoins lastreadas em dólar, como é o caso da Tether, todo esse trabalho de ir até o local físico, conferir a veracidade, transportar e guardar pode ser facilmente substituído pela compra simples e descomplicada de USDT, seja para os mais variadas necessidades ou objetivos de quem as compra.

Como nem tudo são flores, é importante citar uma controvérsia envolvendo essa stablecoin, que se arrasta há alguns anos. Como existe um lastro físico para essa criptomoeda, o dólar, é preciso que de tempos em tempos o emissor do que é Tether prove que de fato possui essas reservas em moeda fiduciária para fazer frente às novas emissões.

Em um dos poucos relatórios divulgados pela Tether Ltd. – a companhia responsável por manter as reservas de moeda fiduciária para o lastro -, o que foi visto é que não há 100% de lastro em cédulas de dólar, e mais da metade está em reserva em forma de notas promissórias e certificados de depósito, que não possuem a mesma liquidez (facilidade em transformar o ativo em dinheiro) da moeda em si.

O que esperar dessa stablecoin?

Para além dessa desconfiança com o funcionamento operacional da Tether, os números mostram como essa stablecoin caiu no gosto dos apaixonados por criptos. Só para se ter uma ideia da enorme utilização da USDT, o volume diário transacionado (a soma de compras e vendas) é o dobro do observado em Bitcoin e quatro vezes maior do que se observa em Ether

A capitalização de mercado da Tether também chama a atenção. Se multiplicarmos o número de unidades emitidas pelo seu preço (que tem a paridade 1:1 com o dólar), chegamos a um valor próximo de US$75 bilhões, semelhante ao valor de mercado de empresas como Ford (automobilística) e Zoom (conferência remota), e que coloca o que é Tether entre as 5 maiores criptomoedas do mundo.

Como foi comentado, pelo fato de seu valor ser estável no tempo, a Tether é muito usada por quem busca trocar por outras criptomoedas ou mesmo em uma estratégia de diversificação em dólar, para depender menos das oscilações do real. E, como mostra a evolução dos indicadores relacionados ao USDT, a disseminação na utilização dessa moeda é significativa e crescente.

Vale sempre lembrar que, além do que você descobriu aqui nesse artigo sobre o que é Tether, você pode verificar na prática, comprando e vendendo, com a gente aqui na Bitso!

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.