o que é controle financeiro pessoal

O que é controle financeiro pessoal? Por que é importante? Como fazer?

Mais uma vez a fatura do cartão de crédito chegou e, com ela, um miniataque cardíaco? Se você passa por isso todos os meses, precisa (urgentemente) entender o que é controle financeiro pessoal.

O controle financeiro pessoal consiste em organizar e acompanhar a sua renda e despesas, geralmente mensais, de modo que consiga arcar com todas as suas contas e ainda ter dinheiro suficiente para viver bem e economizar para o futuro.

Ou seja, é uma ferramenta que ajuda você a cumprir com os seus compromissos financeiros, não gerar novas dívidas, e conseguir fazer uma “graninha” sobrar para usar como quiser, tudo isso com a receita que tem disponível.

Conquistar esse domínio sobre o seu dinheiro não é apenas uma maneira de não se endividar, mas também uma forma de ter mais qualidade de vida. Afinal, além de se preocupar menos com os seus gastos, poderá se planejar melhor para realizar atividades que fazem bem a você, a exemplo da viagem que tanto sonhou.

Somado a isso, é um meio de tornar os seus projetos realidade, sejam eles de curto, médio ou longo prazo, tais como trocar de veículo, comprar a casa própria, ou mesmo garantir uma aposentadoria mais tranquila.

Em resumo, saber o que é controle financeiro só traz benefícios para a sua vida. Mas além de entender o conceito e a sua importância, é essencial, também, saber como fazer isso, concorda?

Pois então, continue a leitura deste artigo e confira o que é preciso para ter um bom domínio sobre o seu dinheiro e gastos e mais nove dicas para garantir uma rotina financeira muito mais saudável!

O que é controle financeiro pessoal?

Assim como dissemos na nossa explicação inicial sobre o que é controle financeiro pessoal, trata-se de adotar o hábito de acompanhar as suas receitas e despesas e mantê-las organizadas.

Explicando de uma maneira bem simples, nada mais é do que pegar quanto você recebe por mês e, desse valor, tirar a quantia necessária para pagar todas as suas contas.

Assim, a grosso modo, parece que se resume a fazer apenas uma conta de subtração, não é mesmo? Porém, saber o que é controle financeiro pessoal vai muito além disso.

Ao realizar essa atividade você consegue visualizar de forma clara e precisa para onde o seu dinheiro está indo. Isso acontece porque, para retirar da sua receita todos os seus gastos é preciso listar um por um, e é justamente aí que está o pulo do gato!

Quando se coloca na ponta do lápis todas as despesas, fica muito mais fácil ver com o que se está gastando, o que é supérfluo e pode ser cortado, o que pode ser remanejado e muito mais.

O susto vem neste momento? Pode ser que sim! Mas tenha certeza que encarar essa realidade será bastante benéfico para você agora e no futuro.

Qual a importância de fazer um bom controle financeiro pessoal?

Saber o que é controle financeiro pessoal é importante, pois ajuda você a equilibrar o que recebe (independentemente da fonte) e o que gasta. Isso, por sua vez, evita que contraia dívidas e/ou que faça empréstimos sem necessidade para arcar com as suas despesas.

Mas além desses pontos, essa prática é bastante válida visto que:

  • traz uma visão real sobre a sua atual situação financeira;
  • contribui para o alcance dos seus objetivos e metas;
  • traz uma percepção melhor dos seus hábitos de consumo;
  • gera mais tranquilidade e qualidade de vida;
  • ajuda a economizar e a pensar em longo prazo;
  • ajudar a preparar o seu bolso para situações inesperadas que requerem dinheiro para serem resolvidas.

Por outro lado, negligenciar o controle da sua vida financeira tende a levar você a “trabalhar apenas para pagar dívidas”. 

Ao perder o domínio sobre o que entra e sai da sua conta, o que pode acontecer é entrar em uma bola de neve financeira e, com isso, gerar endividamento e não conseguir dinheiro suficiente para ter uma vida satisfatória e feliz, financeiramente falando.

Como criar uma planilha de controle financeiro pessoal? 

Agora que o conceito sobre o que é controle financeiro pessoal ficou mais claro, bem como a sua importância, o próximo passo é saber como fazer isso.

Para esse processo você pode usar ferramentas simples, como um caderno, ou soluções virtuais, como uma planilha no Excel, ou até mesmo aplicativos próprios para essa finalidade.

Independentemente da solução que escolher, o mais importante é começar a controlar as suas finanças. Para isso, o primeiro passo é entender o que precisa ser registrado que, basicamente, são as suas receitas e despesas, tanto fixas quanto variáveis.

Entenda por receita todo o dinheiro que entra de dinheiro na sua conta, por exemplo:

  • salário;
  • comissões;
  • pensão; 
  • recebimento de aluguel.

Por despesa, todos os valores que saem da sua conta, seja de forma recorrente, seja esporadicamente. Alguns exemplos são:

  • contas de consumo como água e luz;
  • internet;
  • TV a cabo;
  • conta de celular;
  • custos com higiene pessoal, como cabeleireiro;
  • academia;
  • escola,
  • combustível;
  • empréstimos;
  • financiamentos;
  • passeios;
  • idas a restaurantes.

O objetivo é somar todos os valores que entram e todos os valores que saem para, desse modo, conseguir fazer um comparativo e ver se essa conta está equilibrada. 

Ou seja, o ideal é que se tenha mais receitas que despesas. Porém, se isso não estiver acontecendo, por ter listado todos os seus gastos você tem a chance de verificar o que pode ser cortado e o que pode ter os valores reduzidos sem comprometer o seu dia a dia e a sua qualidade de vida.

9 dicas de como ter uma rotina financeira saudável!

Mas o que fazer depois de colocar tudo isso no papel? Como encontrar um equilíbrio e, assim, manter uma rotina financeira realmente saudável?

Nossas dicas para isso são:

  1. Conheça bem as suas receitas e despesas: seja realista com o dinheiro que tem para usar e mantenha sua planilha sempre atualizada, pois esse acompanhamento deve ser constante e fazer parte da sua vida.
  2. Acabe com as dívidas: entre em contato com os credores para encontrar condições de pagamentos melhores, e procure baixar valores de despesas mensais que não podem ser cortadas.
  3. Encontre meios de economizar: tente reduzir gastos do dia a dia, como consumo de água e luz, e evite, o máximo possível, fazer parcelas no cartão de crédito.
  4. Pense duas vezes antes de comprar algo: procure comprar algo apenas se realmente estiver precisando, e não por impulso ou modismo.
  5. Crie o hábito de comparar preços: se precisar comprar, pesquise bastante os preços e tente descontos antes de fechar o negócio.
  6. Tenha metas: ter objetivos de vida é uma forma de estímulo para gastar menos, visto que você estará priorizando para onde vai o seu dinheiro.
  7. Faça um fundo de reserva: guardar dinheiro para arcar com situações inesperadas é uma forma de não precisar gerar dívidas para resolver problemas emergenciais que requerem dinheiro.
  8. Não deixe dinheiro parado: ao ter sobras financeiras, procure tipos de investimentos compatíveis com o seu perfil de investidor para aplicar e, com isso, buscar rendimentos que podem ajudar você no futuro.
  9. Aprenda mais sobre educação financeira: leia, estude e aprenda mais sobre o assunto, isso ajuda bastante a como lidar com o seu dinheiro de uma maneira mais saudável.

Quanto a essa última dica, a Bitso pode ajudar! Confira aqui, no nosso blog, diversos outros conteúdos sobre finanças, investimentos e muitos outros temas relacionados que vão ajudar você nessa jornada!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.