o que são investimentos de renda variável

O que são investimentos de renda variável? Vale a pena aplicar o seu dinheiro?

Se você pretende diversificar a sua carteira de aplicações, precisa saber o que são investimentos de renda variável.

Como o próprio nome sugere, as aplicações financeiras de renda variáveis são aquelas que não permitem prever qual será a rentabilidade obtida. Na verdade, chega a ser um tanto complicado dizer se, ao menos, haverá algum retorno financeiro (lucro).

Sim! Pode acontecer de você aplicar um valor em determinado ativo ou produto financeiro que tem essa característica e, na hora de vender ou trocar, não ter nenhuma margem de lucratividade. 

Por conta disso, os investimentos desse tipo são considerados de maior risco que os de renda fixa, justamente por sua característica de volatilidade. Mas calma! Isso não quer dizer que eles não valem a pena.

Afinal, suas taxas de retorno tendem a ser maiores que as praticadas por outros tipos de investimentos. 

Outro ponto positivo é que há uma grande diversidade de aplicações desse tipo, o que pode ser bem interessante para quem quer montar uma carteira de investimento robusta e múltipla.

Se o seu perfil de investidor é mais arrojado, saber o que são investimentos de renda variável pode ser uma boa pedida para você. 

Caso ainda não conheça esse modelo de aplicação financeira, continue a leitura deste artigo e confira todos os detalhes!

O que são investimentos de renda variável?

Então, vamos lá! Afinal, o que são investimentos de renda variável? Investimentos de renda variável são produtos e/ou ativos financeiros que não permitem à pessoa que está investindo saber, com antecedência, de quanto será o lucro da sua aplicação, ou se essa ação gerará algum retorno financeiro.

Ou seja, a sua principal característica é a volatilidade, que são oscilações de valores que retiram desses investimentos a garantia ou a possibilidade de previsão qualquer tipo de rentabilidade.

Exemplos de renda variável 

Para a explicação sobre o que são investimentos de renda variável ficar mais clara, apresentaremos, agora, alguns exemplos de produtos e ativos com essa característica.

Ações

As ações são a menor parcela do capital de uma empresa. Isso quer dizer que, ao comprar ações de uma companhia, se torna um dos seus sócios e, com isso, tem direito a parte dos lucros que o negócio gerar.

Fundos de ações

Consiste em uma modalidade coletiva de investimento, na qual você adquire uma cota de participação em fundo que tem como obrigação aplicar boa parte do patrimônio em ações de empresas listadas.

Operado por um gestor profissional, a lucratividade tem relação com a valorização dos ativos comprados e do preço atribuído às cotas do fundo.

Fundos imobiliários

Também formado por um grupo de investidores, o dinheiro aplicado é usado para aquisição ou construção de imóveis, que podem ser vendidos ou alugados posteriormente e ter sua renda dividida entre os participantes.

Fundos de índices (ETFs)

Também chamados de ETFs, exchange traded funds, os fundos de índices são a replicação de composição de outros índices financeiros, a exemplo do Ibovespa. 

Suas cotas são negociadas do mesmo modo que as ações, e têm por objetivo a oferta de carteiras praticamente idênticas às referências do mercado, mas com taxas de administração menores do que os fundos de ações e imobiliários.

Fundos cambiais

Com foco na oscilação de uma determinada moeda fiduciária, a proposta não é, necessariamente, comprar o “dinheiro” em questão, mas, sim, contratos e títulos que tenham o seu comportamento como referência. Pode inclusive ser uma alternativa de hedge cambial.

Ouro

O investimento em outro pode ser interessante para pessoas que querem proteger seu dinheiro dos impactos negativos da inflação. 

Assim como os fundos cambiais, não é preciso, obrigatoriamente, comprar o ouro, mas fundos que replicam a sua precificação.

Criptomoedas

As criptomoedas são ativos financeiros 100% digitais. A compra e a venda pode ser feita de forma direta entre duas pessoas, ou com o suporte de uma exchange, o que tende a ser mais seguro. Há ainda fundos de investimentos que são especializados em criptoativos e possuem estratégias específicas de aplicação de recursos.

Existe uma variedade de moedas digitais, como também podem ser chamadas, sendo as mais conhecidas o Bitcoin (BTC) e a Ether (ETH). Porém, há vários outros tipos. A escolha da mais adequada para a sua carteira depende da sua estratégia financeira e de como pretende usá-las.

O que pode afetar os valores e os lucros das aplicações de renda variável?

Mas para saber de forma realmente completa o que são investimentos de renda variável, é preciso que você conheça também o que causa suas oscilações de valores.

Sobre isso, existem diversos motivos que podem afetar o valor e o lucro das aplicações financeiras de renda variável. Entre os mais comuns estão:

  • crescimento das empresas: especialmente ligado à compra e venda de ações, o volume de vendas de um negócio e seu posicionamento no setor de atuação tem relação direta com o possível lucro a ser obtido por quem investiu nele;
  • mudanças do mercado: a tão falada lei da oferta e demanda pode afetar a quantidade de vendas de uma companhia, o interesse por determinadas criptomoedas, além do segmento imobiliário e outros que geram aplicações desse tipo;
  • inflação: o aumento do preço de produtos, bens e serviços, até mesmo a impressão de mais papel-moeda, pode resultar em perdas financeiras em aplicações de renda variável;
  • câmbio: a perda de poder de compra de uma moeda fiduciária tende a impactar todos os ativos relacionados a ela.

Quais os riscos e as vantagens das aplicações financeiras de renda variável?

Dos maiores riscos das aplicações financeiras de renda variável, o que costuma se destacar são as mudanças de mercado, especialmente causadas pelas alterações econômicas e políticas de um país.

Para quem está iniciando a sua jornada nesse tipo de investimento, também pode ser um pouco complicado traçar uma estratégia inicial satisfatória sem o devido empenho para conhecer as particularidades e funcionamento de cada um dos ativos ou produtos financeiros que podem ser adquiridos.

Mas claro que essas aplicações também geram vantagens. Como dissemos logo no início deste artigo, a que mais se destaca é a chance de ter lucros maiores que os oferecidos por produtos financeiros tradicionais.

Isso mesmo! Ainda que haja essa volatilidade característica, quando os investimentos de renda variável geram lucros, eles costumam ser muito acima dos oferecidos por ativos de renda fixa, como a poupança, CDB, Tesouro Direto, entre outros.

Obviamente, isso depende dos critérios que dissemos acima, a exemplo das variações de mercado. Mas, para pessoas dispostas a arriscar mais por retornos maiores, essas aplicações podem ser bem interessantes.

Vale a pena investir em renda variável?

Agora que você sabe o que são investimentos de renda variável, deve estar se perguntando: “Será que vale a pena investir o meu dinheiro nesses produtos?” A resposta para essa pergunta é: tudo depende do seu perfil de investidor.

Se for moderado ou arrojado, ou seja, uma pessoa com certa (ou alta) tolerância a correr riscos financeiros, por que não?

Como dissemos, não é possível garantir lucros, mas isso não quer dizer que eles não existam. Do contrário, não teriam todas essas opções de investimento, concorda?

Se quiser começar por um dos ativos que citamos, que tal pelas criptomoedas? Na Bitso, a partir de R$ 25 você já pode começar a montar a sua carteira. 

Quer saber como? Basta acessar agora mesmo o site da Bitso para conferir! E não deixe de buscar a informação aqui no blog, combinado?

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.