Hot, Cold e Warm Wallet de criptomoedas

Hot, warm e cold wallet: em qual carteira guardar suas criptomoedas?

Quando o assunto é segurança na hora de guardar as criptomoedas, todo cuidado é pouco e toda a informação é importante. Você precisa conhecer bem as opções de carteiras digitais ou wallets para poder cuidar bem dos seus ativos.

Uma busca rápida na internet, e você vai encontrar muitos casos de roubos de criptomoedas promovidos por gente que se aproveita de sistemas falhos e bastante vulneráveis a ataques desse tipo.

Há várias formas de guardar suas criptomoedas, e a gente vai te contar mais sobre hot wallets, cold wallets e a irmã do meio, warm wallet, explicando seus prós e contras. O acesso a esse tipo de informação pode prevenir casos como os noticiados aos montes em sites de notícias em todo o mundo.

Chegou a hora de você aprender um pouco mais sobre wallets ou carteiras. Vamos lá!

O que são carteiras digitais?

Se você estiver interessado em comprar e armazenar Bitcoin ou outra criptomoeda, é preciso ter uma carteira virtual, que mantém suas criptomoedas guardadas – na prática, armazena as chaves privadas (como palavras-passe, por exemplo) que dão acesso às suas criptomoedas, permitindo movimentar esse ativo entre carteiras (para vender, comprar, pagar por algo…).

Na tela do seu celular ou do computador, você consegue ver o saldo de cada uma das criptomoedas que tem na sua carteira, e, normalmente, a conversão desse valor para uma moeda fiduciária, como reais ou dólares.

No geral, essa é a principal função das wallets: dar transparência e segurança no armazenamento das criptos. Agora, olhando com mais detalhes, veremos que existe uma diferença fundamental entre as hot wallets e as cold wallets: é o fato da carteira estar (ou não) conectada à internet. 

Quais são os tipos de wallets ou carteiras digitais?

Atualmente, existem algumas formas de guardar suas criptomoedas. Vamos ver uma a uma das principais opções:

Hot wallets ou carteiras quentes (online)

O que é hot wallet ou carteira quente? Não, não tem nada a ver com a temperatura. Carteiras quentes são aquelas que ficam online, conectadas à internet, e podem ser acessadas de forma simples, colocando login e senha, normalmente com um segundo fator de autenticação (como biometria ou código de segurança). 

É muito semelhante a uma conta bancária tradicional, que armazena moedas fiduciárias. No caso do mundo cripto, é parte da solução que as corretoras de criptomoedas oferecem, permitindo trades e conversões muito rapidamente. 

Lembra daquelas chaves privadas que dão acesso à carteira? No exemplo das hot wallets, essas ‘senhas’ ficam sob responsabilidade do provedor do serviço, que as armazena e permite que a pessoa dona da conta acesse suas criptomoedas apenas com a interface simples de segurança, como login e senha mais um fator secundário de autenticação.

Cold wallets ou carteiras frias (offline)

Pegou a hot wallet? Então, vai ser mais fácil entender o que é cold wallet: as carteiras ‘frias’ ou cold wallets são físicas, não são conectadas à internet e, por isso, têm um processo de armazenamento e acesso mais complexo do que as carteiras quentes. 

Nas cold wallets, toda a responsabilidade sobre a guarda das chaves que dão acesso aos ativos armazenados na carteira é de quem as detém, sem a intermediação de uma corretora ou banco. A forma de guardar as criptomoedas nesse formato é utilizar algum meio físico, como uma CPU de computador ou um pendrive. 

Para fins de comparação, a cold wallet é o cofre, que apenas a pessoa sabe a combinação correta para a abertura. Evidentemente, o que está em jogo é a questão de segurança e a preocupação de possíveis ataques cibernéticos nas hot wallets, que estão sempre conectadas à internet.

Warm Wallets

Embora seja difícil achar informações sobre esse tipo de carteira, é importante contar o que é warm wallet e quais são suas funcionalidades. Em resumo, uma carteira ‘morna’ está mais para quente do que fria, pois está conectada à internet, e por esse motivo muitas vezes é apresentada como se fosse uma hot wallet. Mas não é exatamente.

A grande diferença é que a carteira morna também tem um pezinho na cold wallet, pois os softwares podem ser baixados (download) na máquina ou no dispositivo móvel. Além disso, o diferencial é principalmente o fato de que é necessário usar senhas de 12 dígitos (palavras-chave) ou números PIN para seu mecanismo de autenticação. 

Assim, a ideia da warm wallet é combinar as vantagens da hot wallet e da cold wallet, aliando praticidade com segurança.

Qual a principal vantagem e desvantagem de cada uma?

A grande diferença entre as carteiras digitais para armazenamento de criptomoedas está no fato de estas estarem (ou não) conectadas à internet. A partir daí, considerar esse aspecto como vantagem ou desvantagem depende das suas prioridades.

Cold Wallets: só você tem a chave

Muitos podem dizer que uma carteira estar totalmente offline é um fator de segurança, pois está imune a ataques cibernéticos. Por um lado, isso é verdade, mas as cold wallets, além de serem soluções mais caras, também não são muito práticas: é preciso vários passos de segurança (que só você tem) para acessar as criptomoedas. 

Há casos reportados de pessoas que perderam as senhas para acesso a carteira offline e oferecem até milhões de dólares como recompensa. Tem um homem do Reino Unido que está numa verdadeira saga atrás de seu hard drive jogado acidentalmente no lixo em 2013 com 7500 unidades de Bitcoin.

Hot Wallets: a praticidade do acesso

Já as hot wallets não têm esse tipo de problema, pois a forma de acesso é bem mais simples, bastando login e senha na plataforma com um fator extra de autenticação. É no fim das contas um processo muito parecido com um acesso simples ao banco tradicional – e isso é sua maior vantagem.

Contudo, é justamente aí que mora o perigo. Há casos de plataformas de criptomoedas que foram alvos de ataques hackers que conseguiram roubar o equivalente a bilhões de dólares em criptomoedas, com prejuízos diretos para quem tem carteiras quentes nessas plataformas.

Essa certa vulnerabilidade é a grande desvantagem das hot wallets, embora existam grandes investimentos em tecnologia e segurança para dar tranquilidade para quem opta por uma hot wallet de corretora, como é o caso da Bitso.

Nesse sentido, é importante ver se a plataforma que você escolheu tem camadas de segurança extras. Na Bitso, por exemplo, usamos uma mistura de hot, cold e warm wallets para ter mais segurança, seguimos padrões rígidos de custódia estabelecidos pela Comissão de Serviços Financeiros de Gibraltar e ainda temos seguro para criptomoedas selecionadas.

Warm Wallets: o modelo híbrido

Apesar de as warm wallets terem nascido para consolidar os benefícios dos dois principais tipos de carteira (cold e hot wallets), elas também sofrem das desvantagens apresentadas acima: o risco de perder as senhas físicas para autenticação e o fato de elas estarem conectadas à internet, portanto sujeitas a ataques oportunistas na rede.

Mas, de novo: o que pode ser uma grande vantagem para os olhos de uma pessoa pode ser uma grande desvantagem para outra, não é mesmo?

Qual é a melhor opção de carteira digital ou wallet?

É a partir da avaliação dos riscos e dos benefícios de cada tipo de carteira que a decisão de qual delas utilizar vai ser um processo natural. Portanto, você deve escolher o tipo de carteira de criptomoedas que melhor se adequa ao seu perfil, combinado?

E sobre isso, temos uma boa notícia. A Bitso investe tempo e recursos para manter a plataforma segura para qualquer pessoa que se interesse pelo mundo das criptomoedas, como contamos no vídeo abaixo. Aliás, segura e acessível de forma prática. 

Dicas para manter a segurança ao armazenar suas criptomoedas

Você deve ter captado algumas dicas de como armazenar com segurança suas criptomoedas atualmente, mas vale a pena ressaltar as principais:

  • Guarde muito bem seus códigos, logins, senhas, tokens e todos dispositivos de acesso a carteiras, sejam elas quentes ou frias;
  • Jamais abra contas cripto em sites desconhecidos ou sem histórico de transações. Uma boa pesquisa anterior te ajuda a não cair em furadas;
  • Verifique a autenticidade do site para não cair em scams e fake, que buscam copiar as homepages de grandes corretoras para roubar criptomoedas. Temos várias dicas para prevenir golpes e fraudes aqui.

E, como última dica, mas não a menos importante: continue lendo os conteúdos aqui do blog da Bitso para se manter por dentro do mercado de criptomoedas. Informação é sempre o melhor remédio.

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.