como-controlar-riscos-financeiros

Como controlar os riscos financeiros? 7 maneiras diferentes que vão ajudar você a não perder dinheiro! 

Antes de falarmos sobre como controlar os riscos financeiros, é bem importante definirmos sobre o que se trata e engloba esse conceito, concorda?

Os riscos financeiros são situações que podem levar uma pessoa, ou uma empresa, a perder dinheiro. Esses acontecimentos podem ser decorrentes de investimentos que não deram certo, transações financeiras erradas, golpes, ou mesmo por não saber administrar bem os recursos financeiros que dispõe.

É fato que nem todas as perdas de dinheiro podem ser previstas, mas isso não quer dizer que temos que ficar por conta do destino — afinal, dinheiro é feito de papel, mas ainda não dá em árvore, mesmo que essa seja a sua matéria-prima.

Por isso, há uma série de boas práticas que você deveria adotar para a sua vida a fim de mitigar os riscos financeiros. Um bom exemplo é conhecer bem investimento no qual pretende aplicar os seus recursos.

Aqui, partimos do princípio que existem diversos tipos de investimentos, que incluem os de renda fixa e os de renda variável. Nesses dois grupos você encontrará vários produtos que têm características diferentes, tais como liquidez, forma de pagamento dos rendimentos, entre outras.

Para não perder dinheiro com essa estratégia, a ideia é escolher o mais alinhado com a sua realidade financeira e objetivo de vida. Uma forma de facilitar essa escolha é conhecendo o seu perfil de investidor.

Percebe que uma coisa puxa a outra? Para tudo isso ficar mais claro, explicaremos em detalhes. Assim, continue a leitura deste artigo para conferir quais são e como controlar os riscos financeiros com sete estratégias diferentes!

Quais tipos de riscos financeiros existem?

Para saber como controlar os riscos financeiros, começaremos dizendo por quais perigos você e seu dinheiro podem passar. 

Algumas das possibilidades são:

  • Riscos de crédito: quando você deixa de receber o valor que foi acordado, por exemplo, pagamento de aluguel ou retorno de um investimento financeiro por falência da empresa, banco ou instituição financeira;
  • Riscos de liquidez: dificuldade de transformar algo em dinheiro, de modo que isso desvalorize a sua aplicação, como demandar muito tempo para vender um imóvel e esse perder valor de mercado, diminuindo o total financeiro a receber;
  • Riscos de mercado: oscilações sofridas pela economia em um determinado momento, a exemplo da desvalorização de moedas fiduciárias ou queda de ações por questões políticas ou sociais, que afetam os mercados;
  • Riscos operacionais: não administrar direito o dinheiro, ou mesmo ser vítima de alguma fraude financeira;
  • Riscos legais: descumprimento de acordos, como quebra de contratos de compra e venda de um veículo ou imóvel, por exemplo.

Como controlar os riscos financeiros? 7 dicas!

Com isso em mente, nossas dicas de como controlar os riscos financeiros são:

  • conheça o seu perfil de investidor;
  • aprenda sobre os investimentos antes de aplicar seu dinheiro;
  • diversifique a sua carteira;
  • acompanhe pontualmente seus extratos;
  • mantenha o seu controle financeiro pessoal em dia;
  • tenha uma reserva de emergência;
  • atente-se às mudanças do mercado financeiro.

Conheça o seu perfil de investidor

Um dos primeiros passos que você deve dar na trajetória de como controlar os riscos financeiros é conhecer o seu perfil de investidor

Essa etapa é importante pois, uma vez que souber qual a sua tolerância a perdas financeiras, encontrará o investimento ideal e compatível com os seus planos.

Não que saber se seu perfil de investidor é conservador, moderado ou arrojado seja uma garantia de não perder nenhum centavo. Não é bem isso! 

Com esse conhecimento você conseguirá, por exemplo, alinhar os seus objetivos ao prazo que seu dinheiro precisa ficar parado para gerar mais dinheiro e, assim, evitar perdas financeiras por retirá-lo antes da hora.

Comumente, prejuízos como esse acontecem quando a pessoa escolhe um investimento que não atende aos seus planos ou estilo de vida, levando a sacar o valor antes do tempo e, por conta disso, pagar taxas e perder juros.

Aprenda sobre os investimentos antes de aplicar seu dinheiro

E por falar em investimentos, aprender mais sobre cada um deles é outra boa estratégia a ser adotada por quem quer saber como controlar os riscos financeiros.

O motivo é semelhante à dica anterior, acrescentando aqui o conhecimento necessário sobre liquidez, segurança e possibilidade de rentabilidade de cada tipo de aplicação. 

Diversifique a sua carteira

Investir todos os seus recursos em apenas um tipo de investimento tende a não ser muito indicado. Por exemplo, imagine aplicar o dinheiro guardado a vida inteira nas ações de uma empresa e ela falir? Melhor nem pensar nisso!

Por esse motivo, outra maneira de mitigar perdas financeiras é diversificar a sua carteira, encontrando bons produtos de investimento dentro do seu perfil de investidor.

Acompanhe pontualmente seus extratos

E lembra que falamos sobre riscos de crédito, riscos operacionais e riscos legais? Pois bem, consultar os extratos — tanto bancários quanto de investimentos — é essencial para acompanhar se você está sofrendo algum dano financeiro.

A ideia aqui é, por exemplo, acompanhar depósitos de valores que tinha a receber, liberação de juros de investimentos, ou mesmo que as suas contas foram movimentadas ilegalmente, a fim de acionar bancos e instituições a tempo para reverter a situação.

Mantenha o seu controle financeiro pessoal em dia

Paralela à sugestão anterior, manter o seu controle financeiro pessoal em dia também é fundamental para evitar perder dinheiro.

O objetivo aqui é anotar todos os gastos, por menores que sejam, e verificar se a receita mensal é suficiente para suprir essas despesas. 

Caso essa “conta não bata”, você tem a chance de ajustar os seus hábitos, buscar renegociar dívidas, e também adotar outras estratégias semelhantes que direcionem melhor o seu dinheiro, como não fazer compras supérfluas.

Tenha uma reserva de emergência

E assim como dissemos logo no início deste artigo, infelizmente, ainda não temos o poder de prever o futuro. Por isso, conseguir montar uma reserva de emergência é uma forma de “ter para onde correr” em situações imprevistos que requer dinheiro para serem solucionadas.

Pontualmente no que se refere a perdas financeiras, é uma maneira de evitar, por exemplo, ter que pegar empréstimos ou usar o cartão de crédito para suprir essas necessidades e, com isso, precisar pagar juros que muitas vezes são bem altos!

Atente-se às mudanças do mercado financeiro

Por fim, é bem importante também que você siga acompanhando as mudanças do mercado financeiro. Um dos motivos é que os investimentos se baseiam em taxas que podem mudar de percentuais e formas de aplicação devido aos mais diversos fatores, como oscilações na economia.

Ficar por dentro dessas informações é uma maneira de mitigar perdas financeiras, já que você terá a chance de identificar quais as aplicações mais interessantes de acordo com essas possíveis alterações.

Aqui, no blog da Bitso, trazemos constantemente temas e novidades sobre finanças. Por isso, convidamos você para conhecer outros conteúdos como este!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.