Imagem representa os tipos de rendas variáveis

Saiba mais sobre o que é renda variável: tipos, vantagens e desvantagens

Nos últimos três anos a bolsa de valores se tornou um assunto amplamente comentado em todos os lugares, a bolsa quebrou vários recordes e várias pessoas que nunca sequer imaginaram ter esse tipo de investimento entraram de cabeça nesse mundo. Nesse período, o número de investidores em renda variável no Brasil saiu de 700 mil para mais de 3 milhões!

Neste artigo falaremos sobre o que é renda variável de maneira a permitir que suas decisões a respeito desse tipo de investimento sejam mais bem informadas. Afinal, como sempre lembramos aqui no Blog da Bitso, informação é sempre o melhor caminho para quem quer tomar as melhores decisões. Vamos lá!

O que é renda variável?

Renda variável, como o próprio nome diz, é um investimento onde não é possível saber inicialmente o retorno no futuro. Hoje ele pode ter um valor dado pelo mercado e amanhã outro bastante diferente. Ao contrário da renda fixa, onde o investidor consegue estimar ou ter uma ideia bem aproximada do quanto ele irá ter acumulado ao final de um determinado período de tempo. 

Tipos de renda variável 

Os principais tipos de renda variável são ações, câmbio, contratos futuros/derivativos e Criptoativos. Detalhando esses tipos, para ficar mais fácil de entender:

  • Ação: é um pedaço de uma empresa e reflete diversas condições da mesma e do mercado onde ela é negociada;
  • Câmbio: nada mais é que comprar a moeda de um determinado país e apostar na valorização/desvalorização dessa moeda;
  • Contratos futuros e derivativos: são os instrumentos de maior risco dessa lista e também os de maior complexidade, ambos servem para proteção ou especulação de um determinado ativo financeiro e são negociados em bolsa de valores ou via contratos feitos sob medida;
  • Criptoativos: são representações de valores que só existem em registros digitais. A transação destas representações é feita entre indivíduos ou empresas sem a intermediação de uma instituição financeira.

Isto é, existe uma variedade de opções de renda variável, cada um com suas características próprias. É muito importante antes de escolher qualquer um deles que você os estude e entenda como cada um tem seu preço determinado. 

Por exemplo, uma ação tem o preço determinado pela oferta e demanda de compradores e vendedores na bolsa de valores. Além disso, alguns desses investimentos podem inclusive virar um ativo físico! Como no caso dos contratos futuros de produtos agrícolas, onde no final o investidor pode entregar ou receber o produto em questão (por exemplo, soja!). 

Quais são os fatores que determinam a variação dos rendimentos da renda variável?

Vamos escolher como exemplo uma ação de uma empresa listada em bolsa de valores. Uma ação representa uma fração de uma empresa, o que significa que o dono da ação é dono daquela fração do negócio. Se uma empresa tem 1.000.000 de ações negociadas em bolsa e você tem 100.000 de ações, isso significa na prática que você tem 10% daquela empresa. 

Se o investidor for o maior detentor de ações, ele pode inclusive controlar a empresa e, como dono, ele tem direito a tudo que o dono de uma empresa normal teria, inclusive de um pedaço do lucro (dividendo), se houver e a interferir nos rumos daquela empresa. 

Caso uma empresa tenha lucros ou a perspectiva de ter no futuro, o seu valor e por consequência o valor de sua ação (lembre-se que a ação é um pedaço da empresa) sobe! E a situação inversa também é verdadeira.

Pois o valor de uma empresa, seja ela qual for, é determinado pelo valor futuro do lucro que ele irá gerar. Se uma empresa espera gerar uma grande quantidade de lucros no futuro, o seu dono (ou acionista) só irá vender uma fatia do negócio hoje por um preço que reflita essa perspectiva futura. 

Além disso, fatores como a economia e a política também possuem impacto, uma vez que essas duas também têm capacidade de influenciar uma empresa a gerar mais ou menos lucratividade. Uma piora econômica/política, por exemplo, pode levar os investidores a buscarem investimentos mais seguros, independentemente da qualidade das empresas, o que também pode impactar negativamente o preço de uma ação. 

Renda variável vs Renda Fixa

A diferença fundamental que existe é que a renda fixa é uma dívida, ou seja, você empresta dinheiro para uma empresa ou governo, enquanto a renda variável é um ativo ligado a uma ação ou até mesmo uma commodity física (um barril de petróleo). 

No caso de uma ação, é um pedaço de uma empresa, então você é dono dela. Em termos práticos, na renda fixa é possível ter uma boa ideia ou até mesmo saber com exatidão o retorno que o investidor terá com aquele investimento num determinado momento no futuro. Na renda variável é impossível fazer esse tipo de predição.

Para além dessas diferenças com a renda fixa, vale também apresentarmos algumas das vantagens e desvantagens dos ativos de renda variável, para que você possa entender melhor sobre esse tipo de investimento de maneira mais ampla.

Vantagens da Renda Variável 

A renda variável pode apresentar grandes vantagens para o investidor:

  • Como existe uma variação grande nos preços dos ativos ao longo do tempo, é possível se aproveitar da variação positiva e ter retornos bastante acima daqueles encontrados em investimentos de menor risco, como a renda fixa por exemplo;
  • Existem oportunidades em mercados muito mais diversificados, investindo em empresas de diferentes setores ou produtos ligados a commodities no exterior, existe uma infinidade de possibilidades para o investidor;
  • No caso de algumas ações, dá até mesmo para receber uma renda pelo simples fato de ter a ação, via o pagamento de dividendos, que nada mais é quando a empresa distribui o lucro para os seus acionistas. 

Um dos maiores exemplos que podemos dar sobre as vantagens da renda variável é a capacidade que ela tem de gerar muito valor para o investidor ao longo do tempo. Diferentemente da renda fixa, onde o rendimento futuro já é sabido de antemão ou facilmente calculado ao longo da vida do ativo, na renda variável é impossível saber disso. 

Um exemplo fascinante são as ações da gigante de aparelhos eletrônicos e de celulares Apple. Em 1984 a empresa fez o seu IPO (initial public offering), isto é, colocou suas ações à venda na bolsa de valores. Naquele momento uma ação da Apple valia US$0,11, por apenas 11 centavos de dólar você poderia ter uma ação da apple, menos de 60 centavos de real. 

A empresa passou por momentos difíceis, porém no começo dos anos 2000 com a volta de Steve Jobs como presidente e o lançamento de produtos marcantes como o computador iMac, iPod e posteriormente o iPhone, a empresa tornou- se uma gigante do setor de tecnologia. 

O reflexo disso pode ser conferido nas cotações da ação, quando vimos que ela passou a valer US$164,51! Um ganho de quase 1500 vezes o capital inicial investido. Para ilustrar, um investimento de US$1000,00 em 1984 teria se tornado mais de um 1,5 milhão de dólares hoje!

Desvantagens da Renda Variável

Nem tudo são flores: como todo tipo de investimento esse também traz suas desvantagens:

  • As variações grandes e às vezes abruptas de preço que podem causar prejuízos grandes ao investidor;
  • Esses são os produtos de maior complexidade e que exigem um certo conhecimento para que a pessoa que vai investir entenda corretamente os riscos que irá correr. Escolher uma boa ação pode requerer dezenas de horas de estudo, por exemplo;
  • Alguns desses investimentos podem causar prejuízos além do capital investido, isto é, fazer com que o investidor tenha que apertar ainda mais capital do que inicialmente para cobrir prejuízos, como alguns casos de operações com contratos futuros e derivativos.

Então, importante frisar uma vez mais: o risco nesse tipo de investimento é elevado e isso na prática significa que oscilações fortes (ou até mesmo zerar o valor) são coisas que estão dentro das possibilidades. Estar ciente disso é muito importante antes de tomar qualquer decisão em relação a esse tipo de investimento.

Da mesma forma que a Apple foi um sucesso estrondoso e multiplicou por milhares de vezes o capital investido ao longo dos anos, o contrário também pode acontecer. No final dos anos 90 a tecnologia do momento eram os PALM pilots, pequenos computadores de mão, uma espécie de agenda eletrônica com tela touchscreen. 

A ação chegou a valer mais de US$300 dólares no começo dos anos 2000, quando o seu produto era uma verdadeira febre, porém com a competição dos celulares com mais e mais recursos, a empresa não conseguiu se manter à frente do mercado e só viu o preço de sua ação despencar até US$6,00 dólares antes da empresa ser vendida para a gigante HP em 2010. Uma destruição gigantesca de valor para o acionista. 

Investindo em renda variável

Como falamos em outro texto sobre investir em ativos de alto risco, investir em um ativo desse tipo é um caminho repleto de conhecimento e autoconhecimento. 

Primeiro que quem investe precisa entender muito bem sobre o tipo de ativo em questão, seja ele uma ação, derivativo, câmbio. Sem conhecer bem o ativo que se pensa em investir, quem investe estará mais fazendo uma aposta do que necessariamente investindo. 

O autoconhecimento serve para entender quanto do seu patrimônio você está disposto a arriscar nesse tipo de investimento, uma vez que variações negativas farão parte da jornada de qualquer um que decida seguir por esse caminho.

Um dos melhores caminhos para atingir esse conhecimento é procurar fazer testes de perfil de investidor e, logo após, verificar que tipos de investimento são indicados para o seu perfil. Isso evita que você tome decisões que, mais tarde, te colocarão no grupo de pessoas que, por não entender sobre algo e perder dinheiro com aquilo, diz que “é impossível ganhar dinheiro ali”.

Provavelmente você conhece alguma pessoa que já disse aquela frase acima, ou mesmo a outra clássica de que a bolsa de valores seria como um cassino. Não necessariamente é o caso dessas pessoas terem perdido dinheiro com isso, mas se há como ter preparação melhor para esse tipo de investimento, é melhor fazer isso do que entrar nesse grupo depois.

Como investir em renda variável ? 

Com a digitalização ficou extremamente fácil investir em tipos de investimento em renda variável. No caso do Brasil você precisa ter uma conta em uma corretora de valores mobiliários, que pode ser aberta pelo seu celular. A corretora é quem te conecta com o mundo financeiro (e com a bolsa de valores). É por ela que você vai comprar o que quiser, e as corretoras hoje viraram verdadeiros supermercados de investimentos!  

Uma vez transferido o dinheiro para a sua conta da corretora, é só escolher qual ativo você vai querer ter na sua carteira. Um processo bastante simples.  

E como sempre gostamos de dizer aqui no blog da Bitso, continue se informando sempre para tomar as melhores decisões. Quem não investe consciente não está investindo, está apostando. 

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.