perfil do investidor agressivo

Perfil do investidor agressivo: quais as características de quem arrisca mais nos investimentos?

O perfil do investidor agressivo — também chamado de arrojado —,  é aquela pessoa que não tem medo de arriscar o seu dinheiro em troca de uma lucratividade mais expressiva — ou seja, mais alta.

Isso quer dizer que essa pessoa é irresponsável, está rasgando notas de real (ou de dólar, nunca se sabe), ou que ela não pensa no futuro?” Não, não e, novamente, não! Na verdade, é bem o contrário disso!

Uma pessoa que tem o perfil do investidor arrojado tende a ter mais conhecimento desse mercado. Por isso, fica mais fácil para ela, e até mesmo natural, compreender a volatilidade dos produtos de investimento e ter uma visão de futuro mais ampla sobre as possibilidades geradas por eles.

Não vamos negar que é preciso ter um bom controle emocional também, do contrário, fica um tanto difícil conseguir lidar com as perdas e ganhos financeiros característicos desse setor.

Sente que você tem esse perfil? Para ter certeza, basta fazer o teste de suitability, que é um questionário que deve, obrigatoriamente, ser disponibilizado por bancos, instituições financeiras e empresas de investimento.

Mas antes mesmo de fazer esse teste, você pode seguir com a leitura deste artigo e conferir como é o perfil do investidor agressivo, o que é preciso para investir dessa forma e quais investimentos são compatíveis com ele.

Dessa forma, já fica por dentro de tudo desse perfil do investidor. Então, vamos lá?

O que é o perfil do investidor agressivo/arrojado?

Como dissemos logo na abertura deste artigo, o perfil do investidor agressivo é alguém que não tem receio em arriscar os seus recursos em troca de lucros maiores

Seu objetivo costuma ser conseguir aumentar o patrimônio com rendimentos altos, resultado de aplicações em produtos financeiros, comumente, de renda variável.

Apenas para que esse conceito fique mais claro, vale relembrar que o perfil do investidor é a identificação do nível de tolerância que uma pessoa tem a riscos financeiros. Ou seja, quanto você tem de disposição, ou não, para investir o seu dinheiro, sem a certeza se terá o retorno esperado. Inclusive, com possíveis perdas significativas no meio do caminho.

Nesse conceito estão o conservador, o moderado e o perfil do investidor agressivo, ou arrojado, como também pode ser chamado.

O que é preciso para ser um investidor agressivo/arrojado?

Quem tem o perfil do investidor agressivo costuma respaldar as suas decisões em três pilares: a segurança, a liquidez e a rentabilidade

Mas, segurança?” Sim! Essa pessoa, por mais que se arrisque, não abre mão de ter o mínimo de tranquilidade nas suas decisões de aplicação financeira.

Basicamente, quem investe dessa forma se relaciona bem com os produtos de investimento que geram riscos altos. No entanto, também está atenta à rentabilidade que, geralmente, segue a mesma proporção — ou seja, quanto mais arriscado, mais lucro costuma gerar em prazos longos.

Pessoas com esse perfil precisam estar por dentro de tudo o que acontece nesse mercado. Por conta disso, uma das suas principais características é ter um bom conhecimento técnico sobre os investimentos disponíveis

Isso ajuda a entender melhor a liquidez e a volatilidade dos variados tipos de investimento, e a utilizar isso a favor da sua estratégia financeira.

Além disso, é bem importante ter controle emocional para lidar com as mudanças, e também manter uma reserva financeira para conseguir passar por imprevistos e oscilações desse setor.

Quais investimentos são compatíveis com o perfil do investidor agressivo/arrojado?

Não pense que quem tem o perfil do investidor arrojado precisa aplicar todo o seu dinheiro em produtos de investimento tidos como arriscados. Essa pessoa pode, se achar mais interessante, mesclar a sua carteira e tirar o melhor proveito possível dos retornos financeiros gerados por cada um.

Porém, é possível dizer que a maior parte dos seus investimentos são em opções de renda variável, o que torna esse tipo de produto o principal do seu portfólio de aplicações — ou não seria considerado um perfil agressivo, não é mesmo?

As aplicações de renda variável, como o próprio nome sugere, são aquelas que não dão a quem está investindo a certeza do quanto é possível ter de rendimentos. Mas, em linhas gerais, quando há lucros, eles tendem a ser bem maiores que os obtidos na renda fixa, cuja previsão de retorno é conhecida desde o início.

Entre as aplicações financeiras que são compatíveis com o perfil do investidor agressivo estão:

  • Ações
  • Fundos de ações
  • Fundos de índice
  • Fundos imobiliários
  • Fundos cambiais
  • Mercado de futuro
  • Ouro
  • Criptomoedas

Ações

Uma ação é a menor parte do capital social de uma empresa. Ao adquirir essa parte, você se torna sócio/acionista do negócio e começa a receber uma fração proporcional dos resultados financeiros da companhia. Quem compra uma ação está esperando o aumento dos lucros dessa empresa, portanto se beneficiando financeiramente desse crescimento.

Fundos de ações

Os fundos de ações são um tipo de investimento coletivo, que tem como base de funcionamento a obtenção de cotas de participação por parte dos investidores.

As aplicações são feitas por um gestor profissional em empresas escolhidas, conforme a estratégia definida nos documentos dos fundos. 

Fundos de índice

Os fundos de índice, ou Exchange Traded Funds (ETFs), é uma opção de investimento de renda variável que replica outras composições de índices financeiros, a exemplo do Ibovespa e do IBrX.

Com isso, é possível investir em produtos praticamente idênticos às referências mais significativas do mercado de uma forma mais prática e com menos custos operacionais.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, ou FIIs, é uma alternativa de investimento que visa a aplicação de valores na construção ou aquisição de imóveis que, posteriormente, serão locados ou arrendados.

O lucro obtido com essa solução vem dessa transação, o qual é dividido entre os participantes de forma proporcional ao que foi aplicado.

Fundos cambiais

A proposta dos fundos cambiais é o investimento de recursos em ativos e/ou derivados relacionados a moedas estrangeiras.

No caso, não é necessário obter a moeda em questão, mas títulos e contratos que evoluam com base na variação de valores desses ativos.

Mercado de futuro

Esse produto de investimento de renda variável visa a negociação de contratos futuros, ou seja, acordos de compra e venda de um ativo financeiro com data de transação futura.

Um dos pontos positivos desse modelo de aplicação é a possibilidade de lucrar com a volatilidade do ativo entre a data de compra e a de venda.

Ouro

O investimento em ouro não quer dizer a compra do metal propriamente dito. No caso, é possível adquirir fundos de ouro, que são aqueles que se baseiam no preço desse produto para as suas negociações.

Criptomoedas

As criptomoedas são ativos 100% digitais e descentralizadas. Na prática, isso quer dizer que elas não dependem de empresas, instituições, órgãos fiscalizadores ou mesmo bancos centrais para existirem ou serem negociadas.

Sobre as criptos, vale destacar que a volatilidade característica desse mercado impossibilita dar aos seus entusiastas garantia de lucros no momento da venda. Por isso, elas tendem a ser adquiridas como uma fonte de reserva, e não necessariamente como um produto de investimento com certeza de rentabilidade futura.

Bateu a curiosidade para saber mais sobre esses ativos digitais? Então confira outros artigos do blog da Bitso e fique por dentro de tudo sobre as criptomoedas!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.