perfil-investidor-conservador

Perfil do investidor conservador: segurança e previsibilidade acima de tudo!

Se fôssemos definir o perfil do investidor conservador com uma só palavra, seria segurança. Dizemos isso porque as pessoas desse grupo costumam buscar um bom lugar para deixar o seu dinheiro “guardadinho” e protegido, ainda que isso não gere rendimentos significativos.

Geralmente, o investidor conservador tende a ser uma pessoa que está começando nesse mercado. Por esse motivo, conhece pouco das opções de investimento e, consequentemente, têm receio de aplicar seus recursos em soluções que implicam algum risco.

Mas tenha em mente que isso pode mudar! Ou seja, conforme for conhecendo mais sobre investimentos e se sentir mais à vontade para arriscar, você pode começar no perfil do investidor conservador, passar para o moderado e chegar ao arrojado. É um processo natural de amadurecimento, tá bom?

Além disso, pode muito bem transitar entre um e outro, dependendo da sua estratégia financeira no momento e objetivos futuros.

Porém, se quer começar com um pouco mais de cautela e menos riscos, as opções de aplicações financeiras voltadas para o perfil do investidor conservador podem ser interessantes para você.

Por isso, continue a leitura deste artigo e confira quais são essas possibilidades, e todos os detalhes e características do perfil conservador.

O que é o perfil do investidor conservador?

O perfil do investidor conservador é aquela pessoa que busca um lugar seguro para aplicar o seu dinheiro, considerando que esse local gere certa lucratividade, ao mesmo tempo em que dê a garantia de que não haverá perdas financeiras.

Em outras palavras, são pessoas que não querem arriscar os seus recursos e, por conta disso, abrem mão de lucros maiores se isso aumentar o risco de perderem dinheiro. Ou seja, preferem soluções que tragam segurança financeira, mesmo que, em troca, recebam pouca rentabilidade.

E como saber se você tem o perfil do investidor conservador?

Ok, mas como saber se esse é o meu perfil?” A forma mais indicada de saber o seu perfil de investidor é fazendo o teste de suitability, que é fornecido gratuitamente por instituições financeiras, bancos e empresas que trabalham com a oferta de produtos de investimento.

Basicamente, consiste em um questionário com perguntas que ajudam a identificar o seu nível de tolerância a riscos financeiros.

Essas questões englobam a identificação de pontos como:

  • Qual o objetivo dos seus investimentos?
  • Por quanto tempo você pretende deixar o seu dinheiro parado?
  • Se a sua aplicação cair 20% em um curto período, o que você faria?
  • Quanto pretende aplicar por mês?

Quais aplicações podem ser interessantes para quem tem o perfil do investidor conservador?

Mesmo que você não tenha feito o teste de suitability ainda, mas tem interesse em começar a aplicar os seus recursos, vale a pena já conferir quais são as opções que geram baixo risco de perdas financeiras.

Aqui, vale um adendo: dissemos “baixo risco”, e não “nenhum risco”, porque praticamente tudo na nossa vida tem uma porcentagem de perigo ou ameaça, concorda?

No caso dos investimentos, os que fazem parte do grupo de produtos de renda fixa são os que têm os menores riscos do mercado — especialmente em comparação aos de renda variável. 

Além disso, é possível saber antes quanto receberá de lucro ao final do período de contratação do serviço, ou quando fizer a venda do ativo.

Dito isso, algumas opções que têm essa característica e que podem ser relevantes para  perfil do investidor conservador são:

  • Poupança
  • CDB
  • Debêntures
  • LCA e LCI
  • Tesouro Direto

Poupança

Há quem diga que a poupança não é um investimento, por conta da sua baixa rentabilidade. Mas, geralmente, esse é o produto que vem à nossa mente quando o objetivo é guardar dinheiro, seja para um propósito específico, seja para tentar um futuro mais tranquilo, não é mesmo?

Quem nunca pensou “Vou por esse dinheirinho na poupança para fazer tal coisa ano que vem” que atire a primeira pedra! 

Em linhas gerais, é um modelo de investimento seguro, com lucro previsível e praticamente sem volatilidade. Por isso, uma opção a ser considerada para quem tem um perfil conservador de investimento.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário, mais conhecido pela sigla CDB, é um produto de renda fixa no qual você “empresta” dinheiro para os bancos. Ou seja, ele funciona como um empréstimo, mas, ao invés de você atuar como a pessoa devedora, será a credora.

A lucratividade fica por conta dos juros que são pagos pelo banco por usar os seus recursos. Esse “uso”, no caso, tem um prazo de duração determinado previamente, assim como há também a definição de qual será a porcentagem que você receberá ao final do período. 

Debêntures

As debêntures funcionam da mesma forma que o CDB, com a diferença que ao invés de bancos, são para as empresas que você estará emprestando.

Outra diferenciação importante é que os debêntures não são protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos, o FGC, já o CDB é.

Caso você não saiba, o FGC é um fundo que garante o pagamento de até R$ 250 mil para pessoas que têm investimentos em bancos e instituições financeiras que, por algum motivo, foram à falência.

LCA e LCI

A LCA e a LCI também seguem o mesmo caminho que o CDB e as debêntures. Isso quer dizer que você emprestará o seu dinheiro em troca de lucros previstos por um determinado período de investimento.

O que difere dos demais produtos é que os recursos serão direcionados para setores específicos, sendo a LCI Letras de Crédito Imobiliário, e a LCA Letras de Crédito do Agronegócio. Cabe ressaltar que quem emite as LCIs e LCAs são as instituições financeiras.

Tesouro Direto

Outra opção entre as aplicações de renda fixa é o Tesouro Direto, que é um Programa do Tesouro Nacional, criado em 2002, que democratiza o acesso das pessoas a títulos públicos.

Resumidamente, você tem a chance de comprar títulos do governo com diferentes possibilidades de rentabilidade e prazo de vencimento. Ao resgatá-los, você recebe o valor investido, mais os juros previstos para o período.

É possível mudar o perfil de investidor com o passar do tempo?

Sim! Como dissemos logo no início deste artigo, nada impede de você mudar o seu perfil de investidor com o passar do tempo.

Assim que tiver mais conhecimento e segurança para aplicar o seu dinheiro, pode se “aventurar” em outros produtos de investimento, mesclando os de renda fixa e os de renda variável, ou ficando apenas com os que geram mais riscos, mas também maior retorno financeiro.

Por essa possibilidade futura, vale muito a pena acompanhar tudo que esse mercado tem a oferecer, quais são as novidades, opções de aplicação e o que mais estiver relacionado.

Como fazer isso? Uma forma é acompanhando os conteúdos da Bitso, inclusive aqui no blog. Estamos sempre trazendo artigos sobre este tema e muitos outros do setor financeiro! Aproveite que está aqui e confira agora mesmo, combinado?

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.