Taxa de Corretagem: o que é e por que importa?

Para que você possa comprar e vender na bolsa de valores é preciso ter uma conta em uma corretora. O negócio principal de uma corretora é então fazer a ponte entre seu interesse de compra ou venda e os locais de negociação de ativos. Para colocar isso em prática ela tem um custo operacional e, dentre outros meios, ela repassa esse custo por meio da corretagem.

A principal fonte de receita de uma corretora é justamente essa corretagem, que é a taxa cobrada por ela para executar essas transações de renda variável que você solicita por dentro da plataforma. Saber mais sobre essa taxa impacta um tanto sua trajetória financeira, e é por isso que decidimos dedicar um artigo inteiro para esse tema. Vamos lá? 

O que é corretagem?

Corretagem é a taxa cobrada por uma corretora para colocar em operação as transações que seus clientes solicitam de compra e venda. Essa taxa tem como objetivo cobrir os custos dessas operações e também remunerar quem participa desse processo.

Por ser a sua principal fonte de receita, as corretoras passam por uma decisão interna importante: equilibrar o quanto se cobra de corretagem dos clientes e o quanto isso pode atrair ou, dependendo do caso, até afugentar novos clientes. Isso acontece porque esse ambiente é competitivo e, quando se compete por uma mesma atividade com outras empresas do mesmo ramo, os preços vão naturalmente caindo. É a lei da oferta e da demanda na prática.

Se em alguma determinada corretora você conseguir acessar mais os mesmos produtos financeiros, atendimento e plataforma é possível que isso impacte favoravelmente na sua decisão de abrir uma conta nesta corretora Agora um fator que você certamente levará em conta é o quanto essa corretora lhe cobrará para ofertar seus serviços, ou, em outras palavras, o quanto ela cobrará para efetuar a corretagem. 

Como funciona a corretagem?

Cada corretora funciona de uma maneira diferente quando o assunto é corretagem, mas algo interessante acontece entre elas: em momentos diversos elas praticam estratégias de reduzir (ou às vezes até zerar) a corretagem para atrair mais clientes.

Importante notar que existem diversos tipos de taxas presentes de alguma forma nos produtos oferecidos pelas corretoras. Dentre essas outras taxas, por exemplo, estão os impostos (que vão parar no caixa do governo), taxa de registro (paga uma vez só), taxa de custódia (para “manter a guarda” dos papéis, que em muitos lugares é zerada) e também os emolumentos (que costumam estar dentro da corretagem).

Especificamente sobre os impostos, vale reforçarmos que são dois: o ISS, que incide sobre a taxa de corretagem aplicada, e o IR, que está sobre o ganho de capital. Enquanto o primeiro irá depender de quanto a corretora cobra de você para executar as transações, o segundo estará sobre o quanto você ganha nas operações.

A taxa de corretagem é de suma importância para a manutenção do negócio de uma corretora, então fique alerta com anúncios que levam em conta uma corretagem zerada e irrestrita para todo tipo de transação, pois os custos que você coloca a uma corretora para operar não deixarão de existir por isso – e você será cobrado em alguma outra ponta que talvez não esteja reparando.

3 tipos de taxa de corretagem

Essa cobrança pelos serviços prestados acontece de algumas maneiras diferentes, que iremos abordar a seguir.

Corretagem fixa

Neste caso, a pessoa que vai operar se depara com uma taxa fixa para cada operação, como por exemplo R$9,00 para cada operação de compra ou venda de ações. Neste caso, a taxa está sobre a operação, não sobre a quantidade de ativos que está dentro de uma mesma operação.

No caso da corretagem fixa funciona assim: comprar uma ação (no mercado fracionário), um lote de ações (geralmente contendo 100 ações) ou múltiplos lotes, em todos esses casos você terá de arcar com um mesmo preço de operação.

Corretagem variável

Quando existem transações de volume mais elevado, pode acontecer que isso acabe dando mais trabalho para a corretora encontrar compradores e consequentemente para que a operação seja efetuada. 

Imagine duas pessoas: uma que procura comprar um lote de ações e outra que gostaria de comprar cinquenta lotes da mesma ação. Quando a primeira posiciona a ordem, independente do preço, tem muito mais chances de encontrar outra pessoa querendo vender um lote. O mesmo não acontece com quem quer comprar 50, que precisará achar muitas pessoas.

Em função desse trabalho adicional que as corretoras podem ter com volumes maiores, existe a corretagem variável. A diferença aqui é que o valor cobrado como taxa para executar a operação se eleva conforme aumenta o tamanho dessa operação. Geralmente esse valor caminha em termos proporcionais, girando em torno de 0,5% da operação.

A diferença desse para o primeiro tipo é que aqui o volume importa e, quanto mais você estiver transacionando, mais caro irá pagar – porque colocou um trabalho adicional sobre a sua corretora para que ela feche a operação para você.

Corretagem mista

Lembra daquele equilíbrio entre taxa de corretagem e a atratividade a novos clientes que já comentamos? Então: essa conta fica ainda mais em evidência quando o caso é de corretagem mista. Aqui, a novidade é que o que você irá pagar em taxa de corretagem pode ter uma parcela fixa, outra variável ou estar em um canto ou outro.

O equilíbrio do qual falamos existe porque, a depender do quanto uma pessoa irá operar, poderão existir estruturas diferentes de cobranças. Por exemplo: operando até uma certa faixa de vezes ou em um certo volume, a taxa será fixa, mas superando isso, será um percentual da operação.

As possibilidades são tão amplas e variáveis, mas podemos citar um exemplo. Uma corretora pode decidir te cobrar R$9,00 de corretagem sobre negociações que envolvam até dois lotes de ações e, se a negociação envolver mais do que dois lotes, cobrar 0,35% do valor total negociado.

Aqui o tamanho e o volume da operação importam porque ajudarão a definir como a corretora cobrará a taxa de corretagem das pessoas que operarem utilizando sua plataforma, mas a relação não será necessariamente variável o tempo todo, podendo ser fixa a depender desse volume. Entram então características dos dois tipos anteriores, unindo-se em um só.

O que é nota de corretagem?

Nota de corretagem é o documento que agrupa todas as informações relativas a uma operação que você realiza dentro de uma corretora. Ali ficam consolidados todos os valores envolvidos na transação, envolvendo o quanto se comprou ou vendeu de ativos, quantos e quais impostos foram/serão pagos a partir dali e quais foram as outras taxas pagas para executar a operação.

É a partir da nota de corretagem que a pessoa que opera diretamente com ações e outros derivativos irá ter um controle mais apurado de suas operações e também fazer de maneira detalhada sua declaração de imposto de renda anualmente.

Em uma comparação mais simples, a nota de corretagem funciona como um extrato da operação realizada: ali constam todas as informações daquela movimentação.

Por que a taxa de corretagem é importante?

Independente de ser fixa ou variável, você pode pensar a princípio que essa taxa não importa muito, porque seria um pedaço muito pequeno de tudo que você gastará para comprar e vender ativos. Mas é importante que você tenha conhecimento de quanto está pagando porque isso vai impactar diretamente no retorno líquido daquela movimentação.

Em todo e qualquer tipo de investimento, a apuração do quanto se teve de retorno deve levar em consideração dois aspectos: o quanto se teve de ganho e o quanto se custou para executar a operação que permitiu ter aquele ganho.

Ainda assim, você pode estar pensando “mas aqueles R$9,00 da corretagem fixa só vão impactar quem operar um lote de ações e aquele 0,5% quase não são sentidos”. Mas lembre-se: dinheiro continua sendo dinheiro independente da magnitude e, dinheiro que serviu para custo, abate o seu ganho líquido.

Pode ser que você ache que esse custo é sutil e quase imperceptível, mas experimente colocar em uma linha do tempo de muitos anos de investimento o tamanho do gasto que se tem com isso (e o quanto isso diminui os rendimentos) que rapidamente você entenderá como é importante ficar de olho nesse custo, beleza?

Taxa de corretagem: de olho nesse custo!

Taxa de corretagem é o que você paga para que a corretora execute sua atividade principal, que é a de permitir que você compre e venda ativos dentro de uma bolsa de valores. Independente do tipo de cobrança que sua corretora execute em suas operações, não se esqueça de verificar o quanto isso afeta todas elas em suas notas de corretagem.

E, é claro: não deixe de acompanhar aqui no Blog da Bitso uma porção de informações que te ajudam a tomar melhores decisões quando o assunto envolve os universos do dinheiro, dos investimentos e das criptomoedas!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.