ADA e o audacioso projeto Cardano

Já existem dezenas de milhares de projetos de criptomoedas, para as mais diversas finalidades, buscando resolver os mais amplos problemas. Seria possível ter uma criptomoeda que una as melhores soluções dessas todas de uma vez só?

É exatamente essa a ideia da Cardano, que deseja fazer isso através de seu próprio criptoativo a  ADA, que trataremos neste artigo.

Esse projeto é da chamada terceira geração de criptomoedas: a primeira foi com a chegada do Bitcoin e a segunda aconteceu com o Ethereum. Este foi um projeto que, apenas para seu  desenvolvimento, levou cerca dois anos – e, como sabemos, esse é um espaço de tempo razoável diante das revoluções que acontecem no universo cripto. 

Vamos então entender esse projeto neste artigo, beleza? 

História do projeto Cardano e da ADA

Em 2015 o instituto Input Output Hong Kong (IOHK), que tem como seu CEO Charles Hoskinson (um dos co-fundadores da Ethereum), começou o desenvolvimento de um projeto que buscaria preencher demandas amplas ainda não atendidas por moedas digitais anteriores.

Alguns pontos foram elencados como sendo importantes para “corrigir a rota” de tudo que havia sido colocado na mesa naqueles últimos anos. Esse conjunto de mudanças é amplo e trataremos cada um deles em seguida. 

Desde já um aspecto que vale ser reforçado é que não seria muito pretensioso nem arrogante dizer que esse projeto nasce querendo ser alternativa a muitos outros projetos. Hoskinson além de ser um dos co-fundadores da Ethereum teve seu primeiro envolvimento com criptomoedas ainda em 2011, quando apresentou um curso sobre Bitcoin e teve mais de 80 mil alunos matriculados.

Apesar de estarmos falando a respeito de um universo em que as mudanças são muito rápidas e as possibilidades sejam criadas dos meios mais diversos possíveis, ter como interessado em causar mudanças reais quem acompanhou muito dos sucessos e fracassos de outros projetos é certamente um diferencial positivo.

Que pontos são esses?

Possivelmente três das maiores demandas seriam: o consumo energético envolvido nos processos relacionados a seu uso e desenvolvimento, o teste para possíveis alterações antes de ocorrerem de fato e uma redistribuição real dos poderes de decisão a quem participa da rede (uma descentralização de fato, que faça valer o real significado dessa palavra).

Primeiro ponto: PoW vs PoS

Em relação ao primeiro ponto, Cardano é o primeiro projeto realmente viável que utiliza o mecanismo de consenso Proof of Stake (PoS) no lugar do já conhecido Proof of Work (PoW). A respeito dessa diferença, cabe uma breve apresentação dos conceitos:

  • PoW é quando todos os mineradores de uma moeda digital competem entre si com seus equipamentos para resolver problemas matemáticos avançados. Esse problemas visam a resolução dessas equações matemáticas afim de validar as transações daquela rede. Para isso, máquinas cada vez mais potentes e que demandam muita energia são necessárias nesse processo, o que pode torná-lo bastante custoso ao longo do tempo;
  • PoS é o mecanismo em que o poder de decisão de mineração (ou a prioridade) estará mais presente conforme for maior o número de criptomoedas que aquela pessoa tiver consigo. Nesse tipo de mecanismo de consenso não há dispêndio de energia tão alto quanto no PoW. Além disso, também não há a necessidade de possuir  máquinas cada vez mais potentes o que torna o PoS um processo mais rápido e barato. .

Em relação à Cardano, o nome do mecanismo de validação se chama Ouroboros e, por essa mudança no consumo de energia, é tido como sendo pelo menos quatro vezes mais eficiente do ponto de vista energético do que o Bitcoin.

Não se esqueça de um ponto importante: quanto menos energia gasta no processo, menor tendem a ser as taxas envolvidas de utilização. Então, sim, nesse caso ser ambientalmente mais sustentável faz deste projeto mais viável financeiramente.

Segundo ponto: testando mudanças antes de ocorrerem

Se por um lado a descentralização apresenta um grande aspecto de liberdade, de não precisar de uma “autoridade central” antes de colocar em jogo uma grande mudança, por outro isso pode significar que alterações não maduras podem virar realidade e colocar todo o histórico daquele projeto cripto em risco.

Buscando se diferenciar disso, o projeto Cardano tem uma equipe que, fica atenta para testar mudanças antes que elas estejam disponíveis aos demais usuários. Trata-se de um comportamento idêntico ao desenvolvimento científico contando com os “peer reviewers”, revisão de pares, para a implementação das mudanças no antes do desenvolvimento do protocolo. 

Então, na prática, só se visualizam as mudanças no token ADA que já foram exaustivamente testadas antes.

Sobre essa quantidade de moedas, vale destacar que há 45 bilhões de unidades no total e atualmente (em set/22) quase 75% dessas unidades já estão em circulação, sendo oferecidas em rodadas públicas de vendas de tokens e por simples oferta e demanda nas trocas peer-to-peer e nas exchanges.

Terceiro ponto: compromisso com a descentralização real

Levando em consideração os dois primeiros pontos, seria de se esperar que mais pessoas se interessassem pela participação neste projeto, certo? Então é justamente por esse motivo que há também a preocupação com a governança das decisões como um diferencial do projeto.

Em atualizações realizadas nos últimos dois anos, o objetivo central foi sempre esse: o de permitir que essa blockchain seja bem mais descentralizada e pulverizada do que os “concorrentes anteriores” como Bitcoin e Ethereum.

Importante pontuar que essa descentralização é importante a esse projeto porque se conecta com sua missão de “procurar soluções que outras criptomoedas não resolveram”: quanto maior a possibilidade ampla de participação, mais amplas também são as soluções que podem ser testadas e, verificando viabilidade, colocadas em operação.

Vantagens e desvantagens da Cardano/ADA

Tanto os lados positivos quanto questionáveis estão relacionados ao desenvolvimento em operação deste projeto.

Quanto ao campo das vantagens, temos que é um projeto aberto que permite muitas possibilidades por ser mais descentralizado, apresenta menor custo energético envolvido (e menor custo para utilizar, por isso) e também conta com uma equipe que observa atentamente toda e qualquer mudança sugerida antes que vire realidade a quem utiliza.

Outra grande vantagem que vale a pena ser comentada em separado é o amplo campo de possibilidades que se abre diante dessa plataforma: a ideia de ser “a criptomoeda que resolve problemas que milhares de outras não conseguiram” faz sentido pela imensa quantidade de projetos que por essa plataforma circulam. 

Para além da resolução dos problemas técnicos do universo dos criptoativos, a Cardano visa encampar projetos de outra natureza. A inclusão financeira e a facilitação de recursos para projetos na África, que busca trazer possibilidades de transferência de dinheiro a quem não tem conta em banco e também, através do uso de contratos inteligentes, e até mapear a evolução educacional de crianças. Esses dois já se encontram em operação, mas existem planos também para abarcar a área de saúde na África.

Já em relação aos pontos desvantajosos, temos que essas mudanças analisadas pela equipe terão o viés dela de aprovação (o que pode ser positivo mas também corre o risco de deixar mudanças mais desejadas em segundo plano), o tempo de aprovação dessas alterações pode ser elevado (e talvez fazem perder o timing das velozes revoluções desse universo) e o fato de outras alternativas na mesma direção podem surgir (baixa barreira à entrada).

Sobre esse último ponto, vale apontar que Cardano foi mesmo o primeiro projeto viável utilizando PoS, mas outros projetos já renomados como o próprio Ethereum buscam nesse momento uma mudança para esse mecanismo. Pode ser que demore, mas não podemos dizer que já não estejam sendo construídas alternativas (como essa) a esse projeto.

Não podemos deixar de comentar com você também o aspecto da volatilidade de preços envolvida: tal qual um projeto cripto ainda em desenvolvimento constante, os preços dos tokens ADA variam muito – você precisa estar consciente dessa informação antes de pensar em ter na sua carteira. No caso da criptomoeda ADA, tenha em mente que há uma volatilidade elevada, não se trata de uma stablecoin.

Cardano e Bitcoin: quais são as diferenças?

Sendo Cardano um dos projetos cripto mais falados ultimamente, vale sabermos quais são as diferenças para a nave mãe que abriu as portas desse universo, o Bitcoin. São basicamente três:

  • Cotação: enquanto Cardano apresenta valor de mercado de alguns reais (sua maior cotação não chegou a superar R$20,00), Bitcoin tem cotação na casa das centenas de milhares de reais;
  • Tecnologia do protocolo: Cardano utiliza Proof of Stake (PoS) enquanto Bitcoin usa Proof of Work (PoW), então são diferentes a capacidade computacional envolvida, os custos de operação e o consumo energético entre os dois projetos;
  • Quantidade de moedas e como encontrar: Cardano possui 45 bilhões de unidades, das quais cerca de 33 bilhões já foram distribuídas, enquanto Bitcoin possui 21 milhões de unidades das quais 19 milhões já foram mineradas;

Há uma outra diferença que importante: Bitcoin é a criptomoeda com maior valor de mercado existente e, ainda que tenha passado por um crescimento considerável nos últimos anos e estar atualmente entre as dez maiores criptomoedas, a Cardano ainda tem uma capitalização de mercado mais de vinte vezes menor – em set/22 –  do que aquela que abriu as portas para tudo que viria a acontecer no campo das criptomoedas, ou seja, o Bitcoin.

Como faço para comprar a criptomoeda Cardano?

Caso você tenha se interessado por essa criptomoeda que tanto tem chamado a atenção nos últimos tempos, sobretudo por uma valorização de mais de dez vezes que aconteceu em 2021, talvez tenha pensado em comprar para ter em sua carteira. 

Você pode fazer isso aqui na Bitso, com alguns simples passos:

  1. Abra sua conta na Bitso;
  1. Baixe o aplicativo da Bitso – disponível para Android e iOS
  1. Envie reais (BRL) para a conta;
  1. Estando disponível o dinheiro na sua conta Bitso, procure Cardano na lista de criptomoedas e faça a conversão do dinheiro fiduciário para ela.

Com essas quatro rápidas etapas você já pode fazer parte desse projeto tendo a criptomoeda ADA em sua carteira, que tal?

Aproveitando que você está na Bitso, não deixe de conferir outros criptoativos de nosso portfólio. Possuímos mais de 40 ativos que podem ser boas opções para a sua carteira! 

Ah, e não se esqueça: continue acompanhando aqui no Blog da Bitso artigos sobre todo o entorno do universo cripto!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.