Como investir em criptomoedas? Passo a passo completo!

Imagem de um gráfico que ajuda a ilustrar o investimento em criptomoedas

Nos últimos tempos, elas estão entre os assuntos mais comentados nas mídias. Por isso, têm despertado cada dia mais o interesse das pessoas. Do que estamos falando? Das criptomoedas, que também podem ser chamadas de criptoativos ou, simplesmente, moedas digitais.

Saber como investir em criptomoedas, por exemplo, está entre os primeiros passos que deve ser dado por quem deseja obter rentabilidade nesse universo. Porém, existem alguns outros tão importantes quanto que são fundamentais nessa jornada.

Por exemplo, você saberia dizer, exatamente e detalhadamente o que são criptomoedas? Por estarem apenas no mundo virtual, será que é mesmo seguro aplicar o seu dinheiro — por vezes tão difícil de conquistar — em um tipo de moeda que nem é palpável?

Agora, a pergunta que não quer calar. Aquela que, muito provavelmente, está na sua mente neste exato momento: será que é mesmo possível ter lucros investindo em criptoativos? 

Ah! Se você precisa saber tudo isso, chegou ao lugar certo! Neste artigo, ensinaremos absolutamente tudo o que você precisa saber sobre como investir em criptomoedas, contemplando cada passo.

Para isso, vamos, literalmente, começar do começo, explicando o que são criptomoedas e como funcionam, quão seguras são, se vale mesmo a pena investir, onde e como fazer esse investimento, e até a como declarar seus ativos digitais no Imposto de Renda.

Ao final, tem uma entrevista exclusiva com Yuri Cervantes, Community Senior Associate da Bitso, que deu dicas incríveis para quem está começando no universo das criptomoedas.

Bateu a curiosidade? Então siga a leitura agora, fique por dentro de tudo sobre esse tema e tome as melhores decisões sobre esse tipo de investimento!

O que são criptomoedas?

Sejamos sinceros! Fica um tanto difícil aprender a como investir em criptomoedas sem antes entender o que são essas moedas digitais, concorda? Por isso, vamos explicá-las.

As criptomoedas são uma espécie de dinheiro, isso porque elas têm valor monetário e podem ser usadas para compra de itens, também como meio de pagamentos, entre diversas outras funcionalidades.

As principais características que diferem as criptos do dinheiro que usamos no dia a dia é que elas são 100% digitais — ou seja, só existem virtualmente — e são descentralizadas.

Por descentralizadas entenda que elas não pertencem a nenhum país, governo, empresa, entidade, ou qualquer outro órgão que possa se posicionar como seu detentor. 

Mas por que elas recebem esse nome? O nome criptomoeda é junção do termo “cripto”, de criptografia, e da palavra “moeda”, por ter valor financeiro como o dinheiro comum.

Quem criou as criptomoedas?

Quando se fala em criptomoedas, a primeira que surge na mente é o Bitcoin, certo? Isso pode gerar a ideia de que, quem criou tudo isso foi Satoshi Nakamoto, o pai ou a mãe dessa moeda digital.

Mas, na verdade, não é bem assim! Satoshi Nakamoto, seja lá quem esteja por trás desse pseudônimo — sim, ninguém sabe até hoje! — foi quem criou o Bitcoin (BTC). Mas, as criptomoedas fazem parte de um conceito que antecede essa criação.

A ideia de moedas digitais nasceu de um movimento chamado Cypherpunks, grupo formado por matemáticos, criptógrafos, cientistas, desenvolvedores e hackers que defendiam o direito da privacidade das pessoas ao usarem a internet e todas as suas soluções e serviços.

Para isso, eles apontavam que o melhor caminho a ser seguido era o da criptografia, que pode ser definido com um processo de codificação de dados e/ou de informações

Basicamente, a criptografia “embaralha” o que será transacionado na internet, dificultando que pessoas que não tenham a chave certa para “desembaralhar” consigam ler o que está registrado naquela transação.

Ou seja, Satoshi Nakamoto “surfou” nessa onda, e usou essa base para dar vida à primeira criptomoeda do mundo, o Bitcoin, que fomentou a criação de todas as outras que temos disponíveis no mercado atualmente.

Ah! Uma dica! Não deixe de ler este artigo: “Cypherpunk Manifesto: o que é, como surgiu e o que tem a ver com as criptomoedas?” 

Investir em criptomoedas é seguro? 

Antes de conhecer o passo a passo de como investir em criptomoedas, uma pergunta essencial a ser respondida é: será que aplicar dinheiro nas moedas digitais é algo realmente seguro de ser feito?

Para responder essa questão, primeiro você precisa entender que os ativos digitais, em si, são extremamente seguros

Um dos motivos é decorrente da criptografia, que acabamos de explicar como funciona. O segundo é porque essas moedas estão inseridas em uma estrutura chamada blockchain, e todo o seu funcionamento e movimentação acontece dentro dessa rede.

Blockchain pode ser traduzido como “cadeia de blocos”. Trata-se de uma rede internacional, espalhada em computadores por todo o mundo, a qual pode ser auditada e verificada, a qualquer tempo, pela comunidade que a utiliza.

De forma prática, uma rede blockchain funciona como uma espécie de livro-razão, no qual são registradas todas as operações realizadas. Ela é considerada extremamente segura devido a características como:

  • cada bloco só é inserido na rede após ser validado pela comunidade;
  • uma vez que isso acontece, é impossível alterar o que está registrado no bloco, nem mesmo por quem o criou;
  • todos os registros são feitos em ordem cronológica e recebem a anotação do dia e hora que foram criados;
  • cada bloco carrega as suas próprias informações e dados, e também do seu antecessor. Por isso, não basta acessar apenas um para saber, modificar ou mesmo furtar o que está registrado lá, é preciso quebrar o código de todos os que compõem a rede;
  • todos os registros são criptografados, o que torna ainda mais difícil a ação de hackers.
Mini infográfico explicando como funciona o Blockchain.

Riscos e vantagens de investir em criptomoedas

Que as criptomoedas são seguras, isso deve ter ficado claro, certo? Mas o investimento nelas, propriamente dito, será que também é?

Assim como diversos outros tipos de investimento que existem no mercado financeiro, aplicar o seu dinheiro em criptomoedas tem prós e contras. Por exemplo, a transparência e a liberdade de investimento são pontos positivos, a volatilidade do preço dos ativos digitais, nem tanto.

Transparência

Pelo fato de todas as transações serem realizadas em uma rede blockchain, tudo é extremamente transparente, e pode ser verificado por qualquer pessoa. Isso garante que a autenticidade dos processos seja confirmada, bem como a idoneidade das operações. 

Liberdade

Quando você descobre como investir em criptomoedas, constata que é um tipo de aplicação que pode fazer por conta própria. Ou seja, quem faz esse tipo de investimento tem total liberdade para realizá-lo da maneira e na frequência que preferir, sem a necessidade da intervenção de um profissional, de uma entidade, banco, ou órgão para isso.

Porém, atenção! Esse é um ponto bastante positivo, mas que pode se tornar negativo se você não tiver o mínimo de conhecimento necessário sobre o mundo e o funcionamento das moedas digitais.

Por isso, para usufruir da maneira certa de toda essa liberdade, é fundamental saber como e onde estudar sobre criptomoedas.

Volatilidade

Os preços dos ativos digitais são extremamente voláteis. Isso quer dizer que eles sobem e descem a qualquer tempo, sem nenhum aviso, inclusive variando diversas vezes ao longo de um mesmo dia.

Por isso, se alguém garantir que você terá lucro investindo em criptos, corre na direção contrária porque essa pessoa está mentindo!

Mas atenção! É fundamental que fique bem claro que, sim, é possível ter lucratividade depois que se descobre como investir em criptomoedas. O que não se pode dar é garantia disso já que o mercado está sujeito a oscilações. 

E o motivo pelo qual é impossível garantir que você terá rentabilidade é, justamente, a volatilidade. Isso acontece porque você pode comprar um ativo agora valendo, por exemplo, R$ 10 cada fração, mas, hora de vender, ele estar valendo apenas R$ 2 cada.

Nem mesmo especialistas em ativos digitais conseguem assegurar a valorização das criptomoedas. Por isso, para ter lucratividade, é fundamental acompanhar bem de perto esse mercado.

Vale a pena investir em criptomoedas?

A resposta para essa pergunta é: sim, porém, depende. Em linhas gerais, vale muito a pena investir em criptomoedas. Uma das razões para isso é que, cada vez mais, o uso das moedas digitais está se expandindo, colocando-as em um patamar significativo para o futuro do setor financeiro.

Por exemplo, existe uma lista imensa de itens que você pode comprar com criptomoedas, que vão desde simples ingressos de cinema até imóveis. O que significa que adquiri-las não é um negócio perdido!

Além disso, as moedas digitais podem ser usadas como um meio de proteger o seu dinheiro da inflação, como é o caso do investimento nas stablecoins.

Stablecoin é um ativo digital cujo valor é equiparado a outro ativo, comumente uma moeda fiduciária como o dólar. Na prática, significa que 1 stablecoin vale 1 dólar. 

Isso quer dizer que, comprando unidades dessa cripto, é como se você estivesse “transformando” seus reais em dólar digital, sem precisar comprar, efetivamente, esse dinheiro.

Dessa maneira, conforme a moeda se valoriza, suas criptos se valorizam também — mas não se esqueça que, se houver desvalorização, seu investimento seguirá o mesmo caminho, certo!

Então, por que depende?

Lembra que respondemos a pergunta se vale a pena investir em criptomoedas com um “depende’’? Dissemos isso porque para a aplicação ser vantajosa é importante que ela esteja alinhada ao seu perfil de investidor.  

Perfil de investidor é uma forma de identificar o nível de tolerância que uma determinada pessoa tem a riscos financeiros. Ou seja, quanto você se dispõe a arriscar seu dinheiro em troca de maior ou menor rentabilidade.

Os perfis de investidores existentes são:

  • perfil do investidor conservador: aquela pessoa que prefere segurança, ao invés de lucros significativos. Por isso, opta por investimentos menos arriscados financeiramente;
  • perfil do investidor moderado: essa pessoa se sente um pouco mais confortável em arriscar. Por essa razão, mistura em sua carteira investimentos de renda fixa e de renda variável, como é o caso das criptomoedas;
  • perfil do investidor agressivo ou arrojado: como o próprio nome sugere, essa pessoa não tem medo de arriscar seu dinheiro em troca de retornos financeiros mais expressivos, ainda que não tenha garantia disso. Investimentos como ações e criptomoedas são um prato cheio para ela!

Não sabe dizer quais desses perfis é o seu, ou quer confirmar a sua suspeita sobre isso? Então, ao finalizar este artigo, leia também o “Como saber meu perfil de investidor? Aprenda a fazer essa identificação e qual a sua importância” e confira o passo a passo para ter essa resposta!

Quais os riscos de investir em criptomoedas?

Já demos uma “pincelada” sobre alguns riscos de investir em criptomoedas, certo? No entanto, existem algumas ameaças que merecem destaque e a sua máxima atenção, especialmente:

  • negligenciar a volatilidade dos ativos digitais;
  • não se atentar a possíveis golpes;
  • investir todo o seu dinheiro em uma única criptomoeda.

Negligenciar a volatilidade dos ativos digitais

Sim! Vamos, mais uma vez, falar sobre a volatilidade dos ativos digitais, pois essa é uma característica muito importante que impacta diretamente na rentabilidade do seu investimento.

Para quem pretende aplicar dinheiro nas criptos, esse é um dos riscos mais iminentes. Por esse motivo, requer todo cuidado.

Fechar os olhos para o fato de que os preços das criptomoedas sobem e descem constantemente, aumenta consideravelmente as chances de você perder dinheiro.

Por isso, ainda que você esteja começando nesse universo, nunca deixe de verificar os valores dos ativos antes de fazer transações de compra e de venda. E saiba que fazer isso é muito fácil!

Na Bitso, por exemplo, ao clicar sobre a criptomoeda que pretende negociar, você verá um painel com todas as informações sobre o preço, estatísticas e detalhes sobre a moeda digital em questão. 

Somado a isso, você pode usar a nossa calculadora e verificar o preço em moeda fiduciária da cripto que pretende comprar.

Quer fazer um teste? Clique aqui e confira como está o Bitcoin neste exato momento!

Não se atentar a possíveis golpes

Infelizmente, ainda existem muitos golpes com criptomoedas aplicados por aí. Por vezes, um único momento de desatenção pode fazer até mesmo os mais antigos nesse mercado se tornarem vítimas de malfeitores.

Listamos alguns exemplos de golpes com moedas digitais para ajudar com que você não caia neles. Os mais comuns são:

  • corretoras falsas de criptoativos;
  • carteiras digitais falsificadas;
  • pirâmides financeiras;
  • venda de ativos digitais que ainda não foram lançados;
  • propostas com garantia de ganhos rápidos.

Investir todo o seu dinheiro em uma única criptomoeda

Cada criptomoeda costuma ter um projeto próprio. Isso significa que ela foi criada com um intuito que pode ser, por exemplo, funcionar como:

  • meio de pagamento;
  • utility token, que dá acesso a produtos e/ou serviços específicos;
  • fan token, direcionado para times, equipes e clubes esportivos.

Aplicar todas as suas reservas financeiras em uma única criptomoeda pode ser um “tiro no pé”. Uma das razões é que o projeto pode não dar certo, ou ser muito limitado e perder o interesse das pessoas ao longo do tempo. 

Quando isso acontece, a busca pela cripto em questão cai consideravelmente, assim como seu preço. Com isso, quem tem unidades ou frações na carteira não consegue mais vender, perdendo lucratividade e o dinheiro que foi investido.

Por isso, o ideal é diversificar a sua carteira de investimento em criptomoedas, mesclando a compra entre diferentes tipos, a fim de compensar os lucros e as perdas entre cada uma delas.

Qual o valor mínimo para investir em criptomoedas?

Mais um ponto importantíssimo que você precisa saber sobre como investir em criptomoedas é qual o valor mínimo necessário para entrar nesse mercado.

Novamente, a resposta é, depende! Mas, por que depende? Porque cada corretora de moedas digitais é livre para trabalhar com uma quantia mínima que julgar mais adequada para o seu público.

Por exemplo, na Bitso, com apenas R$ 25 você já consegue montar a sua carteira de investimentos em criptomoedas, podendo optar entre as mais de 45 opções de ativos digitais que temos disponíveis na nossa plataforma.

O mesmo princípio de valor mínimo para investir em criptomoedas pode ser empregado em transações peer to peer, ou seja, de pessoa para pessoa.

Ainda não existe um órgão definido que exercerá o poder de regulamentação dos criptoativos. 

Especialistas apontam que, provavelmente, essa incumbência ficará a cargo do Banco Central. Mas, até o final de 2022, não há uma definição exata sobre o exercício da regulamentação das criptos — o que deverá ocorrer no início de 2023. 

Por essa razão, cada vendedor ou comprador pode definir qual a quantia inicial para as negociações.

Como investir em criptomoedas? 4 passos! 

Agora sim! Com tudo isso em mente, vamos ao que interessa, que é como investir em criptomoedas. 

E os quatro passos que sugerimos você seguir para isso são:

  1. Conheça mais sobre a criptomoeda que pretende comprar
  2. Defina de qual maneira realizará suas transações
  3. Escolha o tipo de carteira onde guardará seus ativos digitais
  4. Acompanhe as movimentações do mercado constantemente

1. Conheça mais sobre a criptomoeda que pretende comprar

Lembra que falamos que cada criptomoeda tem um objetivo e intenção de uso diferente? Pois bem, conhecer particularidades como essa deve ser o seu primeiro passo. Afinal, o seu investimento deve estar alinhado ao seu interesse e a algo que será financeiramente benéfico para você, seja a curto, a médio ou a longo prazo, concorda?

Além disso, é bem importante acompanhar o que especialistas estão falando sobre o futuro da cripto e seu potencial de crescimento, seu modo de funcionamento, entre outros pontos que a tornam mais ou menos interessantes em processos de compra e venda.

2. Defina de qual maneira realizará suas transações

Existem, basicamente, três principais maneiras de fazer transações de compra e venda e investimentos em criptomoedas, que são:

  • no site da moeda digital;
  • diretamente com outra pessoa;
  • por meio de uma exchange de criptomoedas.

Quanto ao site, nem todas as criptos permitem comprar unidades e/ou frações em suas próprias plataformas. No caso, é preciso verificar se a moeda digital que pretende comprar oferece essa opção. 

Um ponto negativo quanto a isso é que, se for diversificar seu investimento, como sugerimos, precisará entrar em vários sites para isso e realizar diversas operações de compra.

Diretamente de outra pessoa há o risco de golpes que também já comentamos. A não ser que seja alguém que realmente conhece e confia, há, sim, a chance de você pagar pelo ativo digital e não recebê-lo na sua carteira. Afinal, na internet, nunca sabemos quem está do outro lado da tela.

Por conta disso, as exchanges costumam ser a opção mais segura e prática. Por ser uma plataforma de venda de criptomoedas, em um único lugar você encontra vários tipos — na Bitso já são quase 50 diferentes!

E por ser uma empresa devidamente aberta e legalizada, as camadas de segurança empregadas evitam que você sofra golpes ou fraudes financeiras.

Dica de leitura: “Exchange de criptomoedas: quais critérios considerar para escolher a melhor?

3. Escolha o tipo de carteira onde guardará seus ativos digitais

Mas além de escolher de onde comprar, é preciso definir também onde guardar suas criptomoedas. 

Quanto a isso, sabia que existem diferentes tipos de carteiras para criptos, que são:

  • carteiras frias ou cold wallets: não precisam de conexão com a internet
    • carteiras Hardware
    • carteira de papel (paper wallets)
  • carteiras quentes ou hot wallets: precisam de conexão com a internet
    • carteiras da web;
    • carteiras móveis ou em aplicativos;
    • carteiras para desktop
  • carteiras em corretoras de criptomoedas: a guarda é feita pela própria exchange, com acontece na Bitso, dispensando que você precise procurar uma carteira por fora.
Infográfico sobre 15 diferentes criptomoedas para começar seu investimento.

4. Acompanhe as movimentações do mercado constantemente

Investir em criptomoedas não significa comprar o ativo digital e deixá-lo parado na sua carteira. Isso porque esse modelo de aplicação não funciona como poupança ou CDB, que rende estando parados.

A lucratividade das moedas digitais vem de operações de compra e de venda feitas no momento certo. Mas, para saber qual é esse momento, é fundamental que, ao entrar nesse universo, você acompanhe constantemente as movimentações do mercado.

Podcasts, sites de notícias e influencers de criptomoedas são algumas das maneiras de ficar por dentro de tudo o que acontece nesse setor.

Qual a melhor estratégia para investimento em criptomoedas? 4 dicas

Ficou claro como investir em criptomoedas? Viu que não é nenhum bicho de sete cabeças? Então, que tal agora algumas sugestões de como melhorar esse tipo de aplicação financeira?

Na nossa lista de dicas para investir em criptomoedas estão as seguintes orientações:

  • comece investindo pouco e aumente o dinheiro aplicado conforme tiver mais segurança e conhecimento de mercado;
  • não tenha pressa de negociar suas criptos. Aprenda a identificar o momento certo para elevar as chances de lucro e reduzir as probabilidades de perdas;
  • identifique oportunidades de aumentar sua rentabilidade dentro da própria exchange. Na Bitso, por exemplo, ao abrir a sua conta você pode ativar o Bitso+, que permite ganhos de até 2% ao ano com USD stablecoin
  • aprenda sobre diferentes estratégias para investimento em criptomoedas, tais como:
  • day trade: compra e venda são feitas no mesmo dia;
  • swing trade: as transações acontecem em intervalos de dias ou poucas semanas;
  • scalping trade: as operações são realizadas em poucos minutos, até mesmo em poucos segundos;
  • position trade: estratégia de longo prazo que pode durar, no mínimo, um mês.

Qual o melhor app, plataforma ou site para investir em criptomoedas? 

As melhores empresas, corretoras, exchanges para investir em criptomoedas são aquelas que oferecem mais segurança para suas operações e diversidade de ativos digitais para compor a sua carteira.

Como dissemos, a Bitso já conta com mais de 45 criptomoedas em um único lugar, tais como Bitcoin, Ether, Litecoin, Bitcoin Cash, Dogecoin e muito, muito mais!

Quanto à segurança, seguimos as exigências da GFSC, que é a Comissão de Serviços Financeiros de Gibraltar, que define regras rigorosas de atuação nos países nos quais atuamos, que são Argentina, Colômbia, México e, claro, o Brasil.

Somado a isso, temos certificações e seguros de criptos e parcerias de nível internacional que garantem a proteção dos nossos clientes. 

Confira aqui todos os cuidados com segurança adotados pela Bitso!

Como declarar investimento em criptomoedas? 

Tudo certo sobre como investir em criptomoedas? Legal! Então resta saber como declarar esse tipo de investimento para o leão. Afinal, temos certeza de que você não quer ter problemas com a Receita Federal, não é mesmo?

Para declarar investimento em criptomoeda no Imposto de Renda, você deve seguir estes passos:

  1. Comece baixando o programa da Receita Federal para declaração de IR, o qual é atualizado anualmente
  2. Ao acessar o sistema, procure pela ficha “Bens e Direitos”
  3. Busque pelo campo “Discriminação” e descreva, o mais detalhado possível, suas operações com moedas digitais
  4. Informe o saldo referente ao período solicitado, ou seja, ao ano-calendário da declaração que está sendo feita.
  5. Importe as informações sobre os ganhos por meio do “Programa de Apuração dos Ganhos de Capital”, ferramenta que pode ser baixada gratuitamente do site da Receita Federal.

O que diz o especialista sobre como investir em criptomoedas?

E, como prometido, confira agora o que diz Yuri Cervantes, Community Senior Associate da Bitso, sobre como investir em criptomoedas da maneira certa!

Como saber quais são as criptomoedas mais promissoras para investir?

Pode parecer complicado no início, mas começar no mercado de cripto é mais fácil do que você imagina, desde que escolha as plataforma corretas nessa experiência.

Por ser um mercado recente e muito dinâmico, é sempre recomendado que você acompanhe as notícias diariamente. Porém, isso não quer dizer que precise passar horas e mais horas vendo gráficos e analisando tendências. 

Para descobrir projetos promissores nesse mercado é importante saber analisar ao menos três características principais:

  1. Capitalização de mercado: ela indica o valor total em circulação da moeda analisada. Seria o número de moedas digitais em circulação, multiplicado pelo valor em moeda fiduciária referente a ela. Na maioria dos casos, as moedas com valor de mercado maior tendem a oscilar menos do que aquelas com valor de mercado menor.
  2. Whitepaper: é um documento que explica qual o propósito principal do projeto. É super importante entender o que aquela moeda se propõe a resolver no mundo real e em que essa tecnologia é relevante (em alguns casos, essas informações são disponibilizadas no Litepaper, que é quase que um resumo do Whitepaper) .
  3. Transparência: é muito importante ter as informações acessíveis. Se a equipe não disponibiliza explicações do projeto, deles próprios, ou não demonstra ser absolutamente transparente, geralmente, isso é um sinal vermelho para sua segurança (Ah! E isso também vale para as exchanges)!

Existe algum segredo para “se dar bem” investindo em criptomoedas?

A resposta é simples. NÃO

Para se dar bem nesse mercado, por enquanto, é só começar e focar no longo prazo. Há quem enxergue apenas os ganhos rápidos explosivos. Porém isso é pura especulação. 

Aportar em projetos sólidos e promissores tende, em longo prazo, a dar retornos interessantes. 

Importante lembrar que nada é garantido, assim como em todo investimento em renda variável (maior o risco, maior o retorno).

Quais os principais cuidados que devem ser tomados para evitar perdas financeiras nesse mercado?

O caminho mais rápido para perder dinheiro são os atalhos. Muitas pessoas ainda caem em golpes por conta de promessas, quase que milagrosas, sobre retornos impraticáveis. 

Esse mercado traz uma grande autorresponsabilidade sobre seu próprio capital. Então, tenha sempre em mente que suas decisões, em muitos casos, não poderão ser desfeitas. 

A receita é simples: seja consistente, use estratégias como DCA (dólar cost averaging é um aporte sistemático mensal, semanal ou em qualquer outro período que você realiza independente do preço dos ativos ou ações que deseja adquirir) e tenha sempre uma reserva de oportunidade para puxar seu preço médio dos ativos para baixo. 

Gostou deste artigo? Pois saiba que no nosso blog tem vários outros conteúdos tão ricos quanto este. Aproveite que está aqui e confira!

E para começar a investir em criptomoedas agora mesmo, abra a sua conta na Bitso via site ou aplicativo para Android ou iOS.

A Bitso é muito mais do que uma exchange. Somos uma plataforma completa para soluções em cripto que incluiu compra, venda, custódia e muito mais!

Acesse agora mesmo o nosso site e junte-se às mais de 5 milhões de pessoas que confiam nos nossos serviços!

Graduado em Ciências Sociais (UFRGS) e em Ciências Econômicas (UFRGS), mestre e doutor em Ciência Política (UFRGS). Entusiasta de tecnologia blockchain e do mercado de criptoativos desde 2020, está na Bitso desde janeiro de 2021, atuando como Content Marketing Strategist.