O que é Dividend Yield? Como esse índice é calculado?

O famoso Dividend Yield, que em bom português poderia ser traduzido como rendimento do dividendo, é o montante de dividendos que uma pessoa recebe em relação ao dinheiro que investiu inicialmente. 

É bem provável que você já tenha ouvido falar dos famosos dividendos ou já até tenha recebido. Esse recurso é pago aos acionistas de uma empresa, de acordo com a decisão da gerência da empresa.

Nesse texto veremos uma métrica para avaliar esses pagamentos. Isto é, ele é uma medida do quanto de dividendo em relação ao capital investido, em um determinado período de tempo. 

No mundo real, um bom exemplo é que você investiu R$10.000,00 na loja de um amigo e você tem direito a um pedaço dos lucros dessa loja e no primeiro ano você recebeu R$1.000,00 de dividendos, ou seja, a sua parte do lucro. Já nos adiantando, e como veremos em detalhes nos próximos parágrafos, nesse caso o seu Dividend Yield foi de 10%. 

Aqui veremos com mais detalhes como isso funciona. Vamos lá!

Como calcular o Dividend Yield?

Logo no exemplo do parágrafo anterior já demos um gostinho de como calcular o Dividend Yield. Agora vamos do começo e entender a fórmula: 

Dividend Yield = Dividendos pagos por ação ÷ Preço da Ação

O rendimento do seu dividendo é a divisão do quanto foi pago para cada acionista, dividido pelo preço da ação que cada acionista tem. 

Caso você deseje ter o valor em termos percentuais basta multiplicar o resultado acima por 100:

Dividend Yield = (Dividendos pagos por ação ÷ Preço da Ação) * 100

Uma forma de se pensar o Dividend Yield é o quanto a empresa lhe retorna de lucros em cima do quanto você investiu. Retornando ao exemplo da loja do amigo onde você é sócio: se ele te pagou R$1000,00, isso corresponde a um Dividend Yield de 10%. Ou seja, a cada R$1,00 investido de capital você recebeu de volta R$0,10 em lucros. Isso sem falar na valorização do capital investido, apenas lucros. 

Colocando os valores acima na fórmula teremos:

Dividend Yield = (R$1000 ÷ R$10000,00) *100 = 10%

Não sabemos se você já notou isso, então vamos te contar: só existe dividendo se existirem lucros! Se por exemplo a empresa do nosso amigo não tivesse dado lucro ou até mesmo prejuízo, não haveria nada para distribuir para os acionistas. 

Logo: sem lucro, sem dividendo. Aí temos um caso de Dividend Yield = ZERO. 

O que significa Dividend Payout?

Além do Dividend Yield, precisaremos entender mais um jargão do mundo das finanças, o Dividend Payout, que em português podemos traduzir como sendo a relação entre o dividendo pago e a receita líquida da empresa. Ou seja, o quanto ela distribuiu de lucros em proporção a sua receita líquida. 

A receita líquida é a soma de todos os produtos e ou serviços vendidos pela empresa menos os custos (salários, aluguéis, matérias primas e etc…).  O Dividend Payout é a forma usual de medir se determinada empresa ou operação está distribuindo muito ou pouco dividendo. 

Vamos mais uma vez retornar ao exemplo da nossa sociedade com o tal do amigo. Vamos supor que o amigo distribuiu R$2000,00 de dividendos em um determinado ano, para todos os acionistas (que no caso são você e ele). Ele teve uma receita total de R$10.000,00 com as vendas da loja, mas gastou R$6000,00 com custos pagando aluguel, matéria prima e o salário de um funcionário. Logo, a receita líquida foi de R$4000,00. Como não existe nenhuma outra despesa financeira a ser paga, a receita líquida é o lucro total do negócio neste caso. Porém ele não será todo distribuído, apenas 50% deste lucro, pois um pedaço precisará ser poupado para que exista dinheiro para investir no negócio num futuro próximo. 

Mas antes de calcular o Dividend Payout do nosso exemplo acima, vamos ver a fórmula para que você possa também fazer esse cálculo em outras situações e avaliar se a empresa em questão está distribuindo muito ou pouco do seu lucro. Segue a fórmula:

Dividend Payout = Total de dividendos distribuídos ÷ (Receita Bruta – Custos)

Ou

Dividend Payout = Total de dividendos distribuídos ÷ (Receita Líquida)

Voltando ao caso do nosso exemplo, temos a seguinte expressão matemática:

Dividend Payout = R$2.000,00 ÷ (R$10.000,00 – R$6.000,00)= R$2.000,00 ÷ R$ 4.000,00 = 0,50

O Dividend Payout do nosso exemplo é de 0,50, multiplicando por 100, temos 50%. Em outras palavras, a nossa empresa do exemplo distribuiu 50% da sua receita líquida como dividendo para seus acionistas. 

É importante destacar que o DY pode sofrer alteração, uma vez que os preços das ações oscilam, bem como o pagamento dos proventos em dinheiro, que varia de acordo com o calendário de pagamentos da empresa, e com os valores pagos.

O que é um bom Dividend Yield?

Para dizer se algo é bom ou ruim precisamos compará-lo a algo. E você que nos lê já percebeu que quando o assunto é rendimento dos investimentos a gente sempre faz a comparação com o custo de oportunidade do dinheiro, ou seja, a taxa de juros da economia. Afinal de contas, você pode simplesmente deixar seu dinheiro numa aplicação bancária, praticamente sem risco nenhum, e recebendo uma taxa bastante próxima da taxa de juros (no caso do Brasil a famosa taxa Selic). 

Logo, para valer a pena investir em algo que paga dividendos, o Dividend Yield tem que ser pelo menos igual ou até maior que a taxa de juros da economia. Lembre-se que o risco de ter o dinheiro investido em uma ação que paga dividendos é muito maior do que ter o dinheiro aplicado na renda fixa, então tem que ter alguma compensação por isso. 

Para ilustrar o parágrafo acima selecionamos duas empresas bastante conhecidas por pessoas que investem no Brasil. Uma delas inclusive é famosa por ser excelente pagadora de dividendos, a TAESA. A outra é a Petrobrás, uma das principais ações do índice Ibovespa. Colocamos no gráfico o Dividend Yield e a taxa de juros do mesmo período. 

Vamos imaginar alguém que tenha foco em receber dividendos, não importando para essa pessoa qual a variação do preço da ação. Voltando ao gráfico, a linha laranja é a taxa Selic quanto a linha azul é o Dividend Yield pago pela empresa nos últimos 12 meses. 

Temos que um bom Dividend Yield é aquele quando a linha azul está acima da taxa de juros, ou seja, o investidor está ganhando mais com dividendos do que estaria recebendo de juros na renda fixa. 

No caso da TAESA (gráfico da direita) a linha azul passou boa parte do tempo acima da linha laranja, ou seja, quem investiu focando em dividendos dessa empresa teve um bom retorno além da renda fixa, teve acesso a um bom dividendo. Caso tivesse optado por receber os dividendos da Petrobras essa mesma pessoa, no mesmo período, teria tido um rendimento muito abaixo da linha laranja, ou seja, não valeria a pena o risco apenas para receber os dividendos. 

Um detalhe muito importante para o caso brasileiro é que dividendos são isentos de imposto de renda, enquanto a maior parte das aplicações de renda fixa são tributadas. Logo, existe um incentivo de se ter ações que pagam bons dividendos ao invés de renda fixa. Mas lembre-se da nossa regra do que é um bom Dividend Yield: o ideal é que supere a Selic ao longo do tempo.

As armadilhas de olhar o Dividend Yield isoladamente

Além disso, quem investe deve sempre lembrar que o preço de uma ação pode variar bastante, então olhar apenas o dividendo como critério de investimento não é uma boa ideia. 

Outra coisa muito importante que você que nos lê já deve ter percebido é que o indicador varia inversamente ao preço da ação. Isso significa que uma ação que caiu muito antes do pagamento de dividendo, pode parecer que tem um excelente Dividend Yield. 

Por isso é de extrema importância ter muita atenção quando for analisar esse indicador. Ele deve ser utilizado para complementar uma análise muito mais profunda, isto é, não deve ser o único fator considerado na hora de decidir em quais ações investir. Como já falamos diversas vezes aqui no nosso Blog da Bitso, na hora de escolher os melhores investimentos, a decisão deve ser baseada em uma análise criteriosa.

Para escolher ações para receber dividendos, é importante se basear em análises completas e recomendações feitas por profissionais qualificados. E, claro, é sempre importante ter certeza que esse investimento está condizente com seu perfil de investimento

Encontrar o valor do possibilita a comparação do rendimento dos dividendos entre empresas que um investidor esteja interessado em investir. Se busca por aquelas que pagam bons proventos, atente-se às empresas que possuam os maiores valores de Dividend Yield.

Por que o Dividend Yield é importante?

O Dividend Yield é uma medida bastante crucial quando vamos escolher uma ação ou qualquer outro ativo pagador de dividendos para uma estratégia onde queremos receber dividendos, afinal de contas ele nos informa qual o retorno que teremos sobre o nosso investimento. 

Além disso, é um indicador super importante para compararmos com os demais indicadores de mercado, como a taxa de juros, para descobrirmos se vale a pena ou não escolher uma determinada ação para receber dividendos. 

Mais uma vez você aprendeu aqui no blog da Bitso mais um importante conceito de finanças e superou mais um jargão. Portanto, quando for investir em busca de dividendos se lembre sempre de comparar o Dividend Yield com a taxa de juros e cuidado com as variações dos preços das ações. Até a próxima.

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.