blockchain na prática

Blockchain na prática! Mais de 20 exemplos de aplicação dessa tecnologia para você conhecer

O Blockchain na prática vai muito, mas muito além do universo das criptomoedas. Apesar de ter sido esse mercado que tornou a tecnologia realmente conhecida, por conta da criação do Bitcoin em 2009, a verdade é que existem diversos outros segmentos que já a utilizam e se beneficiam dos seus recursos.

As possibilidades geradas por essa rede são tantas que a IBM, empresa de informática, tem uma página no seu site exclusivamente para divulgar cases de sucesso de blockchain na prática.

De acordo com a própria descrição do site, a ideia é que a divulgação desses casos sirvam de inspiração para que outras pessoas vejam como “os inovadores estão transformando seus negócios por meio de casos de uso construídos na plataforma IBM Blockchain”.

Algumas das aplicações citadas nessa página são:

  • impulso às cadeias de suprimentos automotivos;
  • proteção e integridade de produtos farmacêuticos;
  • conexão de fornecedores e distribuidores de frutos do mar;
  • remodelação da cadeia de abastecimento de petróleo e gás;
  • rastreamento de matéria-prima responsável;
  • reabertura de locais de lazer e cultura com bilheteria digital (sem contato)

Como você pôde ver, o blockchain na prática vai de pescados à combustível, passando por shows e entretenimento, carros e remédios. Ou seja, é difícil algum segmento econômico não se beneficiar, de alguma forma, com essa tecnologia. 

Mas por qual motivo ela tem uma aplicação tão ampla? Quais são suas vantagens? Em quais outros mercados, além do financeiro, pode ser utilizada? São essas respostas que você terá neste artigo. Por isso, sugerimos que continue a leitura!

Blockchain na prática: 17 exemplos de uso

Como já mencionamos, o blockchain, na prática, tem diversas aplicações e possibilidades de uso. Além das citadas logo no início deste artigo, trouxemos mais 17 exemplos, separados em 8 setores econômicos para você conhecer. Vamos lá:

  • Entretenimento
    • plataforma que conecta influenciadores a organizadores de evento para divulgação (KickCity);
    • criação de videogames cross gaming – jogos online (B2Expand)
    • banco de dados descentralizado para empresa de stream de música com objetivo de aprimorar acordos de licenciamento musical (Spotify);
    • venda de ingressos livre de fraudes ou de mercado ilegal (Guts).
  • Varejo:
    • acesso dos consumidores a informações de produtos adquiridos e abertura de chamados de assistência técnica (Warranteer);
    • programa de fidelidade com recompensas personalizadas (Loyyal).
  • Indústria alimentícia:
    • certificação da cadeia de suprimentos, gerando transparência quanto a origem dos produtos (Provenance);
    • controle e verificação de mercadorias roubadas, transações fraudulentas, produtos adulterados ou desviados (Blockverify).
  • Seguros:
    • verificação de cobertura em tempo real e aceleração de processos de sinistros (Nationwide).
  • Saúde:
    • armazenamento e utilização de registros médicos eletrônicos, com foco em telemedicina (MedicalChain);
    • coleta de informações para busca de tendências e descobertas médicas (Nano Vision);
    • monitoramento de doenças infecciosas (Gem).
  • Imóveis:
    • democratização do processo de investimento em imóveis, em diferentes partes do mundo, por meio de contratos inteligentes (BitProperty);
    • registro de posse de propriedades e armazenamento de informações relacionadas com mais segurança (Ubiquity).
  • Filantropia:
    • transparência sobre informações financeiras e andamento de projetos, visando aumentar a confiança dos doadores (BitGive);
    • acompanhamento e verificação de como o valor doado é utilizado (Utopi).
  • Serviços financeiros:
    • criação de plataforma global de soluções de pagamento para liquidação instantânea entre instituições (Ripple).

7 vantagens da tecnologia blockchain

Como você já deve saber, a rede blockchain é formada por uma cadeia de blocos, sendo que cada um deles armazena determinado número de transações e dados.

Funcionando em um sistema descentralizado de computadores, chamados de “nós” (ou seja, não ficam armazenados em um único e específico local), os blocos precisam ser validados individualmente e por ordem cronológica de criação.

Uma vez que passam por esse processo, são conectados aos anteriores, carregando consigo dados novos e também a impressão digital do bloco antecessor, chamada hash.

Essa rede é, praticamente, à prova de ataques de hackers porque é preciso desvendar cada código matemático que os blocos carregam para ter acesso aos registros que eles armazenam.

Ou seja, de nada adianta os malfeitores resolverem apenas um deles: é necessário solucionar a cadeia inteira para conseguir acessar as informações guardadas — boa sorte aos golpistas!

Por isso, o blockchain, na prática, se tornou uma das melhores tecnologias a ser utilizada para gravar e gerenciar dados com a máxima segurança e transparência. 

Complementando a questão da segurança, outras vantagens da rede blockchain que merecem ser destacadas são:

  • todas as informações inseridas são criptografadas e exigem assinatura digital para serem acessadas;
  • uma vez que as transações são validadas, elas se tornam imutáveis;
  • não é possível excluir uma operação registrada na rede;
  • devido à sua característica de descentralização, os dados armazenados ficam muito mais protegidos de falhas técnicas e ataques cibernéticos;
  • é extremamente transparente, permitindo que qualquer pessoa verifique e audite o que está registrado;
  • não depende de uma entidade ou órgão regulador para funcionar;
  • dispensa intermediários para a realização dos processos.

O que esperar do blockchain no futuro?

Atualmente, as principais e mais recorrentes aplicações da rede blockchain são:

Porém, como você pôde acompanhar ao longo deste artigo, o blockchain, na prática, pode ser utilizado para diversos outros objetivos. Por conta disso, a tendência é que sua utilização no futuro se expanda.

Setores como agronegócio, administração pública, logística, além dos citados, já vislumbram o uso da rede para aprimoramento dos seus processos.

Sobre essa abrangência maior de diferentes segmentos, olhe que interessante: a UNICEF, Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas, adotou essa tecnologia com o propósito de aumentar o impacto positivo que geram na vida de crianças e jovens de todo o mundo.

Para a UNICEF, a rede blockchain tem contribuído para:

  • melhorar a distribuição dos recursos financeiros obtidos;
  • elevar a eficiência e a transparência dos seus processos internos;
  • incentivar a criação de bens públicos digitais de código aberto.

Ou seja, todos os exemplos que apontamos até agora comprovam que essa tecnologia vai muito além da criação das criptomoedas. Características como segurança e descentralização tendem a ser os dois pontos que mais chamam a atenção das empresas para sua utilização.

E o que mais essa rede tem a entregar futuramente? Isso apenas o tempo vai dizer, mas não podemos negar que esse futuro parece extremamente promissor, não é mesmo?

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.