tipos de investimento a curto prazo

5 tipos de investimento a curto prazo que podem interessar a você!

Entre os tipos de investimento a curto prazo, qual (ou quais) pode ser o mais interessante para você? Para responder essa questão, vamos começar explicando o que é e como funcionam esses modelos de aplicações, combinado?

Investimentos a curto prazo são aqueles que permitem o resgate em até 12 meses (um ano). Eles costumam ser sugeridos para pessoas que buscam boa rentabilidade, segurança e liquidez, que é a velocidade necessária para transformar um produto financeiro em dinheiro.

Por conta dessas características, de modo geral, os investimentos de curto prazo costumam ser procurados por quem tem o perfil de investidor conservador ou moderado, e por aquelas pessoas que querem resgatar os rendimentos de uma quantia aplicada em pouco tempo.

Assim, se você tem um dinheiro sobrando, quer que ele renda, mas sem precisar que esse valor fique retido por longos anos, conhecer alguns tipos de investimento a curto prazo pode ser a solução.

A poupança é um bom exemplo de um produto de investimento desse tipo, visto que seus resgates e aplicações podem ser feitos em qualquer dia do mês, sem prazos ou pagamento de taxas por retiradas efetuadas antes do prazo determinado.

No entanto, há quem não considere a poupança um investimento propriamente dito, considerando a sua baixa rentabilidade.

Assim, se essa era a primeira opção que veio à sua mente, vale a pena continuar com a leitura deste artigo para conferir cinco alternativas, além dessa, de tipos de investimento a curto prazo. Vamos lá!

5 tipos de investimento a curto prazo

Todo mundo sabe: time is money. Por isso, sem mais delongas, vamos direto ao assunto. Entre os tipos de investimento a curto prazo que podem ser uma boa opção para você, estão:

  • CDB;
  • LCA;
  • LCI;
  • Tesouro Direto Selic;
  • Fundos multimercado.

CDB

CDB significa Certificado de Depósito Bancário. Basicamente, ele funciona da seguinte forma: você empresta o seu dinheiro para um banco e, em troca, ele paga juros após determinado período.

O CDB é um dos tipos de investimento a curto prazo que pode gerar certa rentabilidade todos os dias, no caso da liquidez diária. Mas, caso queira, é possível optar por aplicações de 12 meses ou até prazos maiores.

Uma das vantagens do Certificado de Depósito Bancário é que esse produto de investimento é protegido pelo Fundo Garantidor de Créditos, o FGC.

O FGC paga até R$ 250 mil por CPF ou CNPJ aos investidores caso o banco alvo do empréstimo tenha problemas financeiros que impliquem no pagamento dos valores, a exemplo de entrar em falência.

Quanto ao faturamento dessa aplicação, o CDB pode ter rentabilidade acima de 100% do CDI, sigla para Certificado de Depósito Interbancário, que é uma taxa de rendimento anual que serve como parâmetro para definir os lucros de vários produtos de investimento. Isso depende do prazo, da liquidez e da instituição que está emitindo esse título.

LCA

A LCA, Letras de Crédito do Agronegócio, segue o mesmo princípio de funcionamento do CDB, a diferença é que esse título é emitido por bancos ou instituições financeiras e têm os seus aportes direcionados para um setor financeiro específico — no caso, o agronegócio.

Dos tipos de investimentos a curto prazo, esse pode ser resgatado entre 180 a 365 dias ou até mais que isso.

Já a lucratividade, que é um dos pontos que mais interessam, pode render acima de 100% do CDI e não há imposto de renda para a pessoa física! Olha que beleza!

LCI

A LCI, Letras de Crédito Imobiliário, por sua vez, é quase idêntica à LCA, com a diferença do setor que receberá os recursos, que é o imobiliário.

O rendimento e tempo de resgate também seguem a mesma linha, assim como esses dois tipos de investimento a curto prazo têm a vantagem de serem protegidos pelo FGC e de serem isentos de Imposto de Renda.

Tesouro Direto Selic

Enquanto as aplicações anteriores são emitidas por bancos e setores específicos, o Tesouro Direto Selic é um título público do Tesouro Nacional, ou seja, do governo federal.

Na prática, ele funciona igual ao CDB, LCA e LCI. Isso quer dizer que você está emprestando dinheiro para os cofres públicos em troca de pagamento de juros, proporcionais à quantia aplicada.

Entre os benefícios dessa opção está o fato que ela pode ser resgatada a qualquer tempo, a partir do seu 30º dia, sem pagamento de IOF, que é o Imposto sobre Aplicações Financeiras.

Sua rentabilidade pode ser pós-fixada pela taxa SELIC, pode ser pré-fixada, que é quando você já sabe quanto vai receber – por exemplo, 10% ao ano -, ou ainda híbrida, quando você recebe a inflação (IPCA) mais um adicional fixado. 

Os ganhos com juros variam de acordo com o tempo de aplicação, pois títulos mais curtos são mais impactados com a cobrança de imposto de renda, e ainda se o valor dos juros a serem pagos é pré, pós ou ainda o modelo híbrido.

Fundos multimercado

Logo no início deste artigo dissemos que os investimentos em curto prazo costumam ser procurados por quem tem perfil do investidor conservador ou moderado, se lembra? 

No entanto, nada impede que essas opções também sejam consideradas por quem tem o perfil do investidor agressivo, caso essa pessoa queira diversificar a sua carteira.

Para quem é comumente mais arrojado, um produto de investimento desse modelo pode ser o Fundos Multimercado. Assim como o nome já sugere, são aplicações simultâneas em diferentes segmentos, tais como ações, câmbio e renda fixa.

As vantagens e lucratividade dependem do pacote de investimento montado, assim como o tempo mínimo de resgate de cada um.

Quais as vantagens dos investimentos de curto prazo?

Em linhas gerais, quais são as vantagens dos investimentos de curto prazo? Dos que mais se destacam podemos citar:

  • velocidade: conseguir resgatar o valor aplicado, mais juros, em períodos menores que os praticados por outros produtos;
  • rentabilidade: aplicações de curto prazo tendem a ter menos volatilidade e, com isso, previsibilidade de faturamento definida desde o começo.

Criptomoedas podem ser consideradas investimentos de curto prazo?

Depende, muito! Primeiro, precisamos partir do princípio que as criptomoedas não podem ser consideradas, necessariamente, um investimento. Isso acontece especialmente por conta das oscilações de mercado que, rapidamente, fazem suas cotações subirem e descerem, sem aviso.

Ou seja, você pode comprar uma cripto hoje por determinado valor e, amanhã, ela ser precificada pela metade do que pagou. E isso é uma coisa que, definitivamente, não dá para prever!

Mas, o contrário também pode acontecer. Ou seja, por alguma influência do mercado a criptomoeda ser valorizada repentinamente, gerando a oportunidade de vendê-la e obter um 

lucro favorável em curto prazo.

Porém, tenha em mente que isso não é uma regra. Assim, para saber o momento ideal de comprar ou vender esse tipo de moeda digital, é válido conhecer e estudar bastante sobre esse mercado.

Para saber mais sobre criptomoedas e investimentos de curto, médio e longo prazo, confira outros artigos aqui, do blog da Bitso, e fique por dentro de tudo!

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.