Imagem representando três olhos com criptomoedas dentro.

Entenda mais sobre o que é Hash e como isso impacta no universo das criptomoedas 

Junto com a confidencialidade, a integridade é um dos pilares mais importantes da segurança da informação. Nesse sentido, ter uma falha na proteção dos dados pode resultar em um acidente gravíssimo, por isso é importante saber o que é hash.

O código hash tem mais do que uma funcionalidade e é indispensável para quem quer conhecer mais sobre o mercado de criptomoedas!

Ao longo deste artigo, você entenderá os detalhes e a importância desse código para a computação e também para o universo das criptomoedas. Vamos nessa?

 O que é Hash? 

O hash nada mais é do que um algoritmo matemático utilizado na criptografia. É nele que acontece a transformação de um dado, seja qual for, em um grupo alfanumérico que possui um comprimento fixo de caracteres. Ficou confuso?

De forma simplificada, a criptografia Hash é usada para resumir, analisar e gerar integridade de dados, garantindo a segurança das senhas, das informações e dos arquivos utilizados dentro de determinado servidor.

Antes de partir especificamente para o conceito hash, vale entender quais são as principais características da criptografia:

  • Unidirecional: aplicada ao hash, essa propriedade indica que é quase impossível pegar o valor de um hash e executar uma função contrária, para obter o valor do dado de entrada (o chamado input);
  • Resistência à segunda pré-imagem: essa propriedade quer dizer que não pode existir dois valores de entrada com o mesmo valor de saída (chamado output). Ou seja, mesmo que os dados sejam semelhantes entre si, cada registro é único;
  • Resistência à colisão: basicamente, é a reafirmação da característica acima: é impossível encontrar dois algoritmos hash (registros na rede) iguais. Aqui, quanto mais criteriosa for a análise para verificar se dados distintos de entrada (input) geram uma saída igual (output), maior é a confiança para afirmar que a função é resistente à colisão.

Agora que já sabe os atributos da criptografia, fica mais fácil entender as características do algoritmo hash:

  • Saída de tamanho fixo: não importa o que foi informado no valor da entrada (arquivo, informações), a saída sempre terá o mesmo tamanho de números e letras;
  • Eficiência no processo de operação: “tempo é dinheiro” – o hash deve ser capaz de desenvolver respostas rápidas e sem qualquer dificuldade;
  • Determinística: o valor de entrada (input) sempre será o mesmo que o valor de saída (output). 

Mas qual é a importância do código hash para criptomoedas e para a segurança da rede?

Por ser um registro alfanumérico indecifrável, ele garante a segurança durante as transações digitais, incluindo as realizadas com criptomoedas. O motivo você já sabe: como as transações são altamente complexas, é praticamente impossível obter ou reverter o valor de um dado criptografado dentro da blockchain. Por isso, as funções do hash têm um nível de segurança elevado, servindo como um “sistema anti-hacker”.

De maneira geral, quando alguém pergunta o que é hash, você pode responder que é um algoritmo responsável por resumir dados e verificar a integridade do arquivo. Simples, certo? 

 O que é o Hash no Blockchain? 

As funções hash são muito utilizadas pela tecnologia blockchain. Primeiramente, caso não esteja familiarizado, blockchain é uma cadeia de blocos (como também são chamados), em que cada um é formado por outras inúmeras peças que guardam informações criptografadas.

No blockchain, os dados são transmitidos por meio de uma rede que não tem uma unidade central e nenhum componente dessa rede é priorizado em relação aos outros. Por serem bastante eficientes, rápidas e até mesmo exclusivas, as funções dos algoritmos hash são muito utilizadas pela tecnologia Blockchain para registros, incluindo a verificação de transações realizadas.

Fora isso, as funções hash também são usadas para diferentes aplicações dos contratos inteligentes, os contratos digitais programáveis, para criar novos endereços de criptomoedas e também para o processo de mineração.

 Quais são os algoritmos Hash? 

Atualmente, os algoritmos hash mais usados são:

  • Message Digest ou MD, que tem seu foco principal voltado para a verificação da integridade dos arquivos. Entre as versões mais comuns estão: MD2, MD3, MD4 e MD5;
  • Secure Hash Function ou SHA, que é utilizado na transmissão dos dados entre os servidores e clientes;
  • Ripemd, que é uma versão mais atualizada das funções Message Digest. Suas saídas têm 160 bits de tamanho, ao contrário das MD que têm 128 bits;
  • Whirlpool, um algoritmo de criptografia de código livre, criado por dois professores, um brasileiro e um belga. Esse algoritmo é utilizado pela ISO – Organização Internacional de Padronização e pela IEC – Comissão Eletrotécnica Internacional.

Apesar das diferenças, o algoritmo hash é definido e conhecido como funções matemáticas criptográficas, nas quais os dados de entrada apresentam valores de saída combinados, depois de passarem pelas criptografias. 

Ou seja, eles apresentam o mesmo tamanho (em torno de 128 e 512 bits) e a mesma quantidade de caracteres.

 Qual o papel dos mineradores no código Hash? 

Dentro do mundo das criptomoedas, os mineradores são os responsáveis por validar os blocos que compõem a tecnologia blockchain.

De forma geral, as funções hash utilizadas no processo de mineração fazem parte de um estágio importante para a tecnologia blockchain. Os mineradores realizam o cálculo de milhões e milhões de hashes para criar novos blocos de criptomoedas.

O processo de mineração também serve para verificar quais são as transações realizadas na rede. 

O esforço computacional durante a mineração de dados é medido por meio do hashrate, que, resumidamente, é a velocidade em que os mineradores conseguem processar os dados – quanto maior a quantidade de máquinas trabalhando, melhor será o processamento.

Além disso, o hashrate é um dos principais indicadores de saúde da rede, apesar de existirem outros indicadores essenciais, como o número de nós ativos na rede, o nível de utilização da capacidade de cada bloco e as recompensas pagas aos mineradores.

E é por isso que os equipamentos utilizados na mineração são tão caros.

Mesmo que o cálculo seja feito muito rapidamente, o uso contínuo dificulta bastante o processo como um todo. Para ter uma ideia, a competição pela mineração aumentou tanto nos últimos anos que, hoje, é preciso utilizar um equipamento específico para fazer isso, e o valor dele gira em torno de R$10 mil.

 Onde mais o código hash pode ser encontrado? 

O código hash está presente em diversas situações do nosso dia a dia. Entre as atividades que estão diretamente ligadas a ele, encontramos:

  • Recuperação de senha. Os servidores mais confiáveis e seguros armazenam as senhas das pessoas de maneira criptografada. Deste modo, elas não ficam expostas dentro de um banco de dados. Por isso, quando você faz a solicitação para trocar de senha, o servidor envia um código para redefini-la, porque é muito difícil descriptografar o hash utilizado em sua senha;
  • Download de arquivos. Quando você baixa um arquivo na rede, o aparelho utilizado, seja um computador ou celular, está pedindo ao banco de dados do servidor um arquivo que tenha um algoritmo hash interligado. Já reparou que esse download acontece quase que imediatamente? Isso porque o armazenamento desse arquivo, dentro do servidor, é realizado através de funções criptográficas;
  • Antivírus. O trabalho do antivírus é proteger o aparelho, celular ou computador, e fazer a verificação da integridade de determinado arquivo por meio do hash. Quando você faz um download, o antivírus verifica se esse arquivo contém o mesmo hash que o servidor ofereceu; se sim, o download é considerado seguro; se não, é considerado inseguro e pode indicar que o arquivo foi corrompido por algum invasor.

 Hash e o universo das criptomoedas 

Como foi apresentado neste artigo, a função Hash é utilizada, geralmente, para concentrar um grande volume de informações em arquivos.

Também ficou claro como ele é importante tanto para a tecnologia blockchain quanto para as criptomoedas, sendo muito presente até mesmo como parte do nosso dia a dia, para baixar um arquivo ou trocar a senha da rede social, por exemplo.

Agora que você já sabe o que é hash, que tal conhecer o App da Bitso para iniciar nesse ecossistema das criptomoedas? Dê o primeiro passo para a nova forma de se relacionar com o seu dinheiro!

A Bitso plataforma que tem como objetivo facilitar o acesso às moedas digitais e trazer informação de qualidade, desmistificando os mitos desse segmento Acesse o blog da Bitso e confira nossos outros artigos para investir com mais segurança em criptomoedas!

Bitso Brasil
O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.