tipos-investimento-longo-prazo

9 tipos de investimento a longo prazo para você conhecer!

Pensando no seu futuro financeiro? Então seria bem legal você conhecer quais tipos de investimento a longo prazo existem para saber como escolher o melhor — ou os melhores — de acordo com o seu perfil, concorda?

Quanto a isso, vamos começar destacando que investimento de longo prazo é um produto financeiro no qual o seu dinheiro fica aplicado por um período extenso, geralmente, por no mínimo cinco anos.

Após esse prazo você pode retirar a quantia aplicada mais os juros, apenas os juros e continuar com o investimento, ou ainda investir um pouco mais. Tudo depende do seu objetivo e estratégia.

No entanto, é preciso ter em mente que retirar o valor depositado antes do tempo estipulado pode resultar em perdas financeiras, tal como o comprometimento dos juros que receberia, ou até mesmo o pagamento de taxas e tarifas pelo saque antecipado.

Por isso, antes de pensar em investir dessa forma, é fundamental se preparar financeiramente, pois o ideal é deixar o dinheiro lá, paradinho, durante todo o período contratado.

Isso quer dizer que, se precisar de alguma quantia durante o tempo previsto de investimento, o ideal é que ela seja retirada de outra fonte, preferencialmente de uma reserva de emergência.

Tudo isso é tranquilo para você? Então siga a leitura deste artigo e confira alguns tipos de investimento a longo prazo, porque essas opções de aplicações valem a pena e, ao final, dicas de como escolher as mais adequadas.

Quais tipos de investimento a longo prazo existem?

Já que tempo é dinheiro, vamos direto ao assunto, combinado? Assim, entre os tipos de investimento a longo prazo existentes, algumas opções são:

  • Previdência Privada
  • Tesouro Direto
  • CDBs
  • LCIs e LCAs
  • Debêntures
  • Ações
  • Fundos Imobiliários
  • Fundos Multimercado
  • Investimento em startups e empresas

Previdência Privada

A Previdência Privada funciona como uma espécie de recolhimento de valores para fins de aposentadoria. 

A proposta desse tipo de investimento de longo prazo é ser uma fonte de receita futura, que pode complementar o orçamento de uma pessoa quando ela não estiver mais trabalhando.

O resgate da quantia aplicada, com os juros, pode ser feito de uma única vez, ou em parcelas mensais, como se fosse uma renda a mais.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto consiste na compra de títulos emitidos pelo governo federal que, quando devolvidos, geram ganhos financeiros.

Considerado um investimento de baixo risco, visto que há a garantia de retorno de pagamento por parte do governo, sua rentabilidade pode obedecer diferentes critérios, por exemplo, ser pré-fixada (você já sabe quanto vai ganhar no início) ou ainda seguir algum índice conhecido, como os juros de mercado, o CDI, ou a inflação oficial, o IPCA.

CDBs

CDB é a sigla para Certificados de Depósito Bancário. Entre os tipos de investimento a longo prazo, esse consiste em, basicamente, emprestar dinheiro para um banco em troca de juros.

Esse produto financeiro de renda fixa pode ter lucratividade com valores pré ou pós-fixados, e seu prazo de aplicação tende a ser bastante variado, por exemplo, de um, dois, ou cinco anos.

LCIs e LCAs

LCI significa Letra de Crédito Imobiliário, e LCA é Letra de Crédito do Agronegócio. O funcionamento de ambos é basicamente igual ao CDB, ou seja, você emprestará seu dinheiro para uma instituição financeira em troca de pagamento de juros.

A diferença mais significativa é que as instituições que recebem esses recursos precisam emprestar para atividades ligadas ao setor imobiliário, no caso da LCI, e do agronegócio, considerando a LCA. 

Essa aplicação também se destaca por ser isenta de Imposto de Renda para a Pessoa Física. Isso significa que se a taxa de um LCI é de 12% a.a., esse é exatamente o valor a ser recebido ao final do período, sem precisar deduzir o Imposto de Renda na fonte.

Debêntures

As debêntures também seguem o mesmo princípio dos dois últimos tipos de investimentos a longo prazo que acabamos de mencionar.

O que a diferencia dos demais são dois pontos: o primeiro é que você estará emprestando o seu dinheiro, em troca de juros, para uma empresa. O segundo é que esse modelo de aplicação não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC.

O FGC é uma entidade privada, que não tem fins lucrativos, que visa proteger investidores caso a instituição financeira na qual aplicou seus recursos tenha problemas financeiros e dessa forma não consiga honrar seus compromissos.

Quando isso acontece e há a proteção do FGC, cada pessoa recebe até R$ 250 mil pelas aplicações feitas no banco.

Ações

Uma ação é a menor parte do capital social de um negócio. Na prática, isso quer dizer que, se você comprar ações, estará se tornando um dos donos da companhia, ainda que em uma porcentagem pequena.

Como resultado, terá direito aos lucros e rendimentos que a empresa tiver, de forma proporcional ao valor investido – percentual de ações que tiver. 

Lembre-se que aqui estamos falando de longo-prazo, então a ideia é investir em uma empresa com boas perspectivas futuras e ‘surfar’ esse crescimento por meio da valorização das ações e do recebimento futuro de dividendos.

Fundos Imobiliários

Esse é um tipo de aplicação para quem tem perfil de investimento moderado ou agressivo. Uma das razões é que ele pertence ao grupo de produtos de renda variável. Ou seja, não é possível precisar quanto de lucro pode ser obtido, especialmente considerando oscilações do mercado.

Os Fundos Imobiliários são formados por grupos de pessoas interessadas em investir seus recursos nesse segmento, sendo esses gerenciados por um especialista da área. 

A rentabilidade fica por conta do retorno financeiro obtido com as negociações dos imóveis alvo das aplicações, ou do pagamento de aluguéis, sendo esse último isento de imposto de renda para a Pessoa Física.

Fundos Multimercado

O nome já sugere como funciona esse tipo de aplicação, isso quer dizer que o Fundo Multimercados é uma forma de investimento que abrange, simultaneamente, diferentes setores econômicos e estratégias.

Também operado por um gestor especializado, a ideia é conseguir aproveitar boas oportunidades financeiras de vários investimentos, o que pode contribuir para a obtenção de retorno financeiro mesmo em momentos de crise econômica, devido à diversidade da carteira montada.

Porém, pode ser uma aplicação de risco, por conta da volatilidade dos setores. Assim, essa opção tende a ser mais interessante para perfis de investidores moderados ou arrojados. E principalmente com a mentalidade de longo prazo, pois retirar rapidamente os recursos de um Fundo Multimercado pode trazer risco de perda significativa do valor investido.

Investimento em startups e empresas

Antes, só grandes empresas e investidores conseguiam aplicar recursos em startups e empresas, mas o conceito Equity Crowdfunding mudou esse cenário.

Basicamente, são plataformas que conectam startups e empresas com potencial de crescimento a pessoas que estão interessadas em investir nelas.

Sobre essa possibilidade, é preciso ter em mente que se trata de uma aplicação de alto risco, já que a companhia pode ou não dar certo, pois a grande maioria dessas empresas estão em um estágio inicial de crescimento. Caso não dê, você perde todo o dinheiro investido.

Por outro lado, se o negócio “decolar”, isso pode resultar em ganhos significativos. Mas lembre-se também que pode levar anos para você ter o retorno financeiro, efetivamente, em suas mãos. Olha o tal do longo prazo aí de novo!

Por que fazer investimentos de longo prazo?

Mas, por que fazer investimentos de longo prazo? Uma das principais razões é que essa é uma forma de buscar um futuro financeiro mais tranquilo, que permita a você alcançar a sua liberdade financeira, ou mesmo a sua independência financeira.

A ideia, portanto, é pegar um dinheiro que ficaria parado na sua conta e colocá-lo para “trabalhar por você”, gerando um rendimento que pode contribuir bastante para a sua saúde financeira futuramente. 

Não há dúvidas que são os investimentos de longo prazo que tem o maior potencial de gerar ganho significativo no seu patrimônio. Mas para isso é necessária muita disciplina, foco e doses enormes de paciência.

Como escolher o melhor investimento de longo prazo para você?

Para escolher o melhor (ou os melhores) investimento de longo prazo, você deve começar identificando qual é o seu perfil de investidor. Dessa forma, conseguirá saber qual o seu nível de tolerância a perdas financeiras.

Feito isso, os próximos passos sugeridos são:

  • alinhar o seu perfil aos tipos de investimentos disponíveis;
  • alinhar os investimentos selecionados aos seus objetivos de vida e financeiro;
  • fazer um bom planejamento financeiro para garantir a constância das aplicações;
  • montar um fundo de reserva de emergências para evitar retirar a quantia aplicada.

Quer saber mais o que você pode fazer para buscar um futuro financeiro mais satisfatório? Então confira agora mesmo outros artigos da Bitso sobre esse tema.

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.