Tokenização: o que é e o que tem a ver com as criptomoedas?

Diversos tokens explicando o que é a tokenização

O mundo dos criptoativos é cheio de termos bastante específicos. Alguns podem até ser encontrados em outros setores, mas têm conceitos e aplicações diferentes. Por exemplo, você sabe o que é tokenização e qual a sua relação com as criptomoedas?

Tokenização consiste em fracionar um ativo em porções digitais menores, as quais são criptografadas e também podem ser negociadas

No entanto, no universo das moedas digitais, tokens são uma representação de um ativo digital em uma rede blockchain não nativa; ou seja, ativos digitais emitidos para uma rede descentralizada. 

Já conseguimos imaginar quais perguntas estão passando na sua mente agora: “Mas se eles são ativos digitais, têm o mesmo valor que as criptomoedas?” Quase, a gente vai explicar melhor! 

Ok, mas eles podem ser negociados?” Sim, basicamente em um processo de compra e venda muito semelhante ao utilizado para as moedas digitais.

Tá, mas criptomoedas e tokens são a mesma coisa?” Bem, isso, e muito mais, contaremos ao longo deste artigo. Por isso, continue a leitura para conferir!

O que é tokenização?

Afinal, o que é tokenização e o que isso tem a ver com o mercado de criptomoedas? Começamos dizendo que esse termo não é nativo, nem tão pouco exclusivo, desse segmento.

Tokenização é um processo utilizado para fragmentar — ou seja, dividir, repartir, fracionar — um ativo (algo que tenha valor monetário).

Esses ativos tokenizados são, então, digitalizados e suas partes criptografadas e, a partir daí, podem existir em uma rede blockchain para serem negociados.

Entre os itens reais que podem passar pela tokenização estão imóveis, peças de arte, metais preciosos etc. Dos bens intangíveis, podemos citar ações, cotas, marcas registradas, direitos autorais, entre outros. 

Na prática, se você tem o token de algum ativo, possui uma parte dele. Isso quer dizer que, se ele for vendido, você receberá um valor proporcional à sua fração.

Trazendo essa explicação para o mundo das criptomoedas, podemos dizer que a tokenização nesse universo consiste em criar unidades de valor com base em uma rede blockchain já existente, dando, assim, origem aos tokens.

O que são tokens? 

Tokens são ativos digitais criados a partir de uma blockchain que já existe. Isso quer dizer que o seu desenvolvedor não precisa formar uma rede do zero para dar origem a ele.

Um bom exemplo de rede que possibilita isso é a Ethereum, cuja tecnologia pode ser utilizada para o desenvolvimento de contratos inteligentes, aplicativos descentralizado, dentre outros.  

De forma mais prática, é possível dizer que o token é uma classe de criptoativos, uma espécie de ramificação, que depende de uma criptomoeda para existir.

Como é o funcionamento?

Os tokens funcionam dentro de uma blockchain específica e são baseados em contratos inteligentes (smart contract), o que facilita o processo de emissão , bem como o gerenciamento da custódia desses ativos. Por isso, seguem o mesmo princípio atribuído às moedas virtuais, isso quer dizer, 100% digital e com todas as transações registradas nos livros razão online.

Como ele pode ser utilizado?

Além de servirem de reserva de valor, como as criptomoedas, a utilização dos tokens está relacionada ao seu tipo (mais adiante vamos detalhar isso). Eles literalmente representam a propriedade, ou geralmente a fração da propriedade, sobre determinado bem. 

Mas, de modo geral, seu uso tende a ir além de um ativo que pode ser vendido e transformado em moeda fiduciária. Eles podem ser usados como meio de pagamento ou para acesso a serviços exclusivos na rede onde estão. 

Quais as vantagens dessa classe de criptoativos?

As vantagens de um token é que, como estão relacionados a uma criptomoeda e à sua rede blockchain, eles “captam” todos os seus benefícios, tais como transparência e segurança.

E, por comumente terem um custo de aquisição reduzido, os tokens ganham uma qualidade e vantagem a mais: a de possibilitar um acesso democratizado, condição que contribui para que mais pessoas entrem nesse mercado.

Quais os tipos de tokens existentes no mercado?

Como dissemos, o uso do token depende do seu tipo. De acordo com a divisão mais conhecida de tokens, eles podem ser separados em quatro espécies:

  • payment/exchange tokens: é outra maneira de se referir a criptomoeda. É a hipótese em que o token é utilizado como meio de pagamento para compra de produtos e/ou serviços, troca ou investimento;
  • utility tokens: têm aplicações e usos diversos, como para acesso em determinadas lojas, jogos de computador, programas de fidelidade, entre outros;
  • security tokens: também tem usos variados, mas podem representar, por exemplo, tokens com direito a participação em projetos coletivos, como empresas. Tal informação deverá constar no white paper do referido token. ;
  • non-fungible tokens (NFTs): funcionam como contratos, certificação de propriedade exclusiva de parte de um ativo, por exemplo, um imóvel ou obra de arte.

Qual a diferença entre criptomoeda, token e moeda fiduciária?

Que tal simplificar tudo o que dissemos até agora? Vamos fazer isso com as principais diferenças entre criptomoeda, token e moeda fiduciária:

Criptomoeda

Criptomoeda é uma moeda virtual. Elas são descentralizadas, isso quer dizer que independem de bancos centrais, governos ou de qualquer outra organização para existir.

Elas têm valor monetário e, por isso, podem ser usadas para diferentes negociações comerciais. Com exceção de El Salvador, as criptomoedas não têm curso legal, o que significa que sua aceitação não é obrigatória e sempre dependerá da aceitação das partes incluídas na relação comercial. 

As criptomoedas são nativas de suas redes blockchain, portanto, o seu desenvolvimento tende a ser mais complexo.

Token

O token também é um ativo virtual, e tem funcionamento semelhante ao das criptomoedas. No entanto, ele depende de uma rede blockchain já existente para ser criado — alimentado e desenvolvido.

Apesar de existirem as payment/exchange tokens, funções desempenhadas igualmente pelas criptomoedas, os tokens constituem uma gama mais ampla de ativos, incluindo também os de utilidade, por exemplo.

Moeda fiduciária

Já uma moeda fiduciária, também chamada de moeda fiat ou fiat currency, é aquela que tende a ter seu valor definido pelo governo que a emite por meio de uma política monetária.

Ou seja, estamos falando de dinheiro com curso legal, como o real no Brasil e o dólar nos Estados Unidos.

Como comprar e vender tokens e outros ativos digitais?

A tokenização tem a vantagem de permitir a negociação de frações de um determinado ativo. Por ter custos geralmente menores, permite que mais pessoas tenham acesso a esse processo.

No caso dos tokens, a compra e venda podem ser feitas com a ajuda de uma exchange, que são empresas que facilitam esse tipo de atividade.

Na Bitso, você pode comprar e vender criptomoedas e tokens, como Tether USD, Aave, DAI e muitos outros.

Acesse agora mesmo o site da Bitso e confira como!