O que é DAO? Entenda como Organizações podem tomar decisões de forma autônoma e descentralizada!

Símbolo do token MKR da DAO MKR

Revoluções causam grandes transformações, alterando o modo das pessoas enxergarem o mundo. Sobre essa reflexão, sempre procuramos falar de Bitcoin, a respeito de como revolucionaram o mercado financeiro global, e agora vamos apontar para uma revolução em curso que recebe o nome de DAO

DAO é a sigla de Decentralized Autonomous Organization, que traduzido para o português significa Organização Autônoma Descentralizada.

De maneira resumida, trata-se de uma estrutura de negócios em que o controle é distribuído, ou seja, não há ninguém exercendo uma função de CEO ou de executivo, funcionando por meio de smart contracts (contratos inteligentes).

Por isso que DAO é um tipo de revolução, principalmente quando pensamos na forma como as empresas tradicionais funcionam. Qualquer uma dessas companhias possui determinada hierarquia, com alguém desempenhando uma função de liderança, situação completamente distinta das DAOs.

Isso representa algo revolucionário, pois é capaz de transformar radicalmente as estruturas organizacionais que conhecemos. Vamos ver como, em seguida, combinado?

O que é DAO?

Vamos começar imaginando uma máquina de venda automática, aquela que fica pertinho da sua casa e que vende chocolate ou refrigerante, na qual não existe a presença de um vendedor. Basta você ir até uma máquina desse tipo, colocar certa quantia de dinheiro, selecionar algum produto, retirando-o logo em seguida, com todo esse processo acontecendo de forma automática.

Talvez você não tenha se dado conta, mas por trás de todo esse processo automático há muita participação humana. Já parou para pensar em quem abastece uma máquina de venda automática? Quem retira o estoque? Ou, quem paga pela energia elétrica gasta mensalmente? Pois é, essas funções são realizadas por pessoas! 

Mas, e se quiséssemos automatizar todas as funções, tirando a participação humana no funcionamento dessas máquinas? Isso só seria possível com a inclusão de algum mecanismo, algo como smart contracts e códigos programáveis, o que garantiria a automatização completa de cada função. Só assim teríamos uma máquina totalmente automatizada, uma máquina que se aproximaria do conceito de DAO.

Essa comparação está longe de ser exata, mas ainda sim reflete bem a ideia de DAO, consistindo em uma organização descentralizada e autônoma que funciona sem a participação de intermediários, dispensando a necessidade de qualquer tipo de gerenciamento. Assim, tudo é realizado de maneira automatizada, com cada decisão sendo tomada a partir de smart contracts e códigos programáveis.

Isso ainda não é tudo, já que DAOs também possuem código aberto, isto é, qualquer pessoa pode ter acesso. Além disso, as suas regras e transações ficam registradas na blockchain. Todo esse conjunto da obra resulta na garantia de total transparência e em um elevado nível de segurança.

Como funcionam as DAOs?

Qualquer DAO começa com o estabelecimento de um conjunto de regras, codificadas como um contrato inteligente, que deve ser cumprido em suas operações. Depois disso, as DAOs entram na fase de financiamento, momento em que se oferecem vantagens e recompensas aos compradores, como tokens e a capacidade de influenciar nas operações da DAO (pelo direito de voto).

No momento em que o período de financiamento termina e uma DAO entra em operação, uma nova fase começa, com essa organização se tornando autônoma e independente de qualquer pessoa, inclusive de seus criadores. 

A partir disso, todas as decisões envolvendo determinada DAO, os gastos de fundos, por exemplo, onde e quando gastar, são realizadas com base em regras de governança. E como esse consenso é obtido? A resposta está nas votações, realizadas entre os membros da organização, são as pessoas que possuem alguma parte da DAO.

Ao comprar uma parte você passa a ter direito de voto, o que envolve a possibilidade de tomar certas decisões sobre ela. Assim como os demais compradores, que também compraram pedaços dessa mesma DAO, também possuem direito. A respeito disso, uma observação, já que esse direito é relativo, dependendo do tamanho do pedaço – do número de tokens – que foi comprado.

A ideia é bem simples, geralmente cada token dá o direito a um voto. Assim, quanto mais tokens você tiver, maior é o seu poder de voto para tomar decisões na organização. 

DAO é seguro? O que garante a sua integridade?

Pensar em uma organização sem nenhum CEO e sem intermediários, somado com a garantia de transparência e segurança, pode ser empolgante, um sonho para muitas pessoas. Mas, tirando o entusiasmo que envolve essa ideia, isso coloca algumas dúvidas para quem prestou maior atenção. Afinal, como essa estrutura – tão revolucionária e que está em evolução – pode garantir a segurança?

Essa dúvida fica maior na medida em que consideramos a total descentralização e transparência das DAOs. O que acontece se alguém mentir e descumprir algum acordo? E no caso de alguém, com livre acesso ao código, tentar fazer mal uso disso?  

Para início de conversa, no momento em que uma DAO é criada, suas regras são escritas em seu código como contratos inteligentes programados para serem executados quando certas ações acontecem. No momento em que os compradores de uma determinada DAO concordam com as regras estabelecidas, violar essas mesmas regras resulta no bloqueio dos fundos da DAO, impedindo a sua operação. 

Além do mecanismo que impede a quebra de regras, cada DAO também possui um tipo de caixa embutida, com o objetivo de armazenar moeda digital. O acesso a essa caixa depende da aprovação do grupo – formado pelos detentores da DAO -, sendo decidido de maneira coletiva e durante um período definido.

É por isso que DAOs também são seguras, muito em razão da elevada tecnologia que envolve as suas operações. Acerca disso, devemos sempre recordar, estamos falando de uma grande revolução, não é mesmo?

O que é DAO maker?

DAO Maker, uma criação conjunta de Christoph Zaknun e Giorgio Marciano, é uma das principais plataformas de lançamento de criptomoedas e tokens no mercado. Mas, antes de falar de DAO Maker, para que serve esse negócio de plataforma de lançamento?

Basicamente, uma plataforma de lançamento de criptos e tokens – a exemplo da DAO Maker – procura capital para o investimento em startups, tokens de lançamento ou criptoativos, permitindo que as pessoas interessadas – alguém que se interesse por algum projeto nascente ou em crescimento – possam participar de uma oferta pública, chamado de Initial Coin Offer (ICO), algo semelhante ao que seria no caso de uma ação, o IPO.

Voltando a falar a respeito da DAO Maker, em específico, seu principal produto se chama DAO Pad. Esse produto é uma plataforma de múltiplos investimentos, com a função de permitir que os detentores de tokens DAO possam participar do lançamento de tokens no estágio inicial para projetos futuros cuidadosamente analisados.

Alguns dos projetos com maior destaque lançados através da DAO Maker:

  • Infinity Pad (IPAD).
  • My Neighbor Alice (ALICE);
  • Orion Protocol (ORN);
  • Seascape Network (CWS).

Bem mais do que o produto DAO Pad, comentado anteriormente, existe uma grande diversidade de serviços adicionais para projetos baseados em blockchain nascentes oferecidos pela DAO Maker. Como exemplo de alguns desses serviços: 

  • consultoria;
  • incubação;
  • mineração social;
  • operações.

A plataforma é alimentada por um token nativo (DAO). Esse token é usado para negociações na DAO Pad, além de configurar uma forma de se ganhar rendimento – através de um dos cofres da DAO Maker. 

Batendo um papo sobre exemplos de DAO’s

Apesar da maioria das DAOs estarem associadas a investimentos, a exemplo da coleta de NFTs ou do financiamento de startups em fase inicial, a maior parte das estruturas organizacionais tradicionais pode se tornar em DAO. Um bom exemplo são as organizações de caridade, com membros decidindo a maneira de gastar doações por meio de uma governança própria.

Então, bater um papo sobre exemplos de DAOs não é nada difícil, bastando lembrar de qualquer organização autônoma que tenha sistema descentralizado de gerenciamento e orçamento. Com base nisso, quase toda rede de criptomoedas descentralizada já pode ser considerada como uma DAO, principalmente no período de financiamento coletivo inicial (momento anterior ao lançamento oficial). 

Falando a esse respeito, abaixo temos algumas das mais populares e bem-sucedidas DAOs:

Em termos de volume de negociação, a Uniswap (UNI) é a principal exchange descentralizada do mundo cripto, com a função de permitir transações de maneira instantânea, além de realizar a alocação de liquidez por margens de preço específicas.

Quando falamos de Decentraland (MANA), estamos nos referindo ao maior token metaverso por valor de mercado, que permite que seus compradores possam criar e monetizar uma grande variedade de conteúdo (como terrenos, avatares, etc).

A respeito de Friends With Benefits Pro (FWB), temos um exemplo de DAO exclusivo, algo voltado só para membros, ao contrário da enorme quantidade de servidores DAO que são abertos para quem não tem tokens.

No caso da ConstitutionDAO (PEOPLE), uma curiosidade: refere-se a uma DAO do tipo orientada por missão, tendo sido criada com o objetivo de comprar uma das treze cópias sobreviventes da Constituição dos EUA leiloadas em novembro de 2021. Diferente do habitual, não é mesmo?

Como encontrar as melhores DAOs?

De maneira geral, existem dois principais modos de encontrar as melhores DAOs para você: por meio de listas com curadoria e de rastreadores de projetos.

Usar as listas selecionadas é basicamente procurar por informação na forma de artigos, vídeos, tweets entre outras mídias de sua confiança. O blog da Bitso é uma ótima pedida para você ficar bem informado sobre esse e muitos outros assuntos que envolvem o mundo cripto.

No caso de rastreadores de projetos, trata-se de sites especializados no assunto, dedicados exclusivamente na coleta e na classificação de projetos de criptografia e DAO.

DAO: hype momentânea ou revolução permanente?

Se as criptos realizaram a separação entre moeda e Estado, e os blockchains realizaram a separação entre Estado e bancos, seriam as DAOs a separação entre empresas e Estado?

Esse tipo de pergunta é extremamente polêmica, sendo ainda bastante difícil de ser respondida, mas, com base em tudo que acabamos de ver, sim, potencial para isso não falta para as DAOs. 

Claro, esse tipo de acontecimento – de tamanha transformação – é algo só para o futuro, pois uma revolução não se faz de um dia pra noite, não é mesmo?

Levando em conta tudo o que foi mostrado ao longo desse artigo, a possibilidade de ser apenas um hype é bem improvável, sendo as DAOs uma realidade, inclusive já contando com a adoção de gigantes do mercado como a ShapeShift

Seja como for a opinião sobre esse tema, uma coisa é certa: organizações autônomas descentralizadas já são uma realidade, com um enorme poder de transformação futura, principalmente na forma como vemos as empresas e a forma de tomar decisões.

Graduado em Ciências Sociais (UFRGS) e em Ciências Econômicas (UFRGS), mestre e doutor em Ciência Política (UFRGS). Entusiasta de tecnologia blockchain e do mercado de criptoativos desde 2020, está na Bitso desde janeiro de 2021, atuando como Content Marketing Strategist.