Dicionário cripto: 40 termos para entender o mundo das criptomoedas

Um dicionário com termos sobre criptomoedas

Se você quer entender mais sobre o mundo das criptomoedas, existem termos e siglas que devem estar no seu dicionário cripto para que fique mais fácil entender os contextos onde elas são usadas.

Para te ajudar nessa tarefa, reunimos neste artigo uma lista das principais palavras que devem estar no seu vocabulário. Continue lendo e conheça alguns desses termos que sempre acabam aparecendo nos conteúdos sobre o tema!

Dicionário cripto de A a Z

No dicionário cripto que criamos abaixo, listamos os principais termos desse universo e os apresentamos em ordem alfabética. Pronto para aprender? 

1. Altcoin 

Altcoin é o termo usado para se referir a todas as outras opções de criptomoedas criadas depois do Bitcoin (a primeira e mais relevante de todas as criptomoedas). 

Também são chamadas de moedas alternativas. Alguns exemplos são o Litecoin, Cardano, Solana, entre outras.

2. ATH 

ATH é a sigla para All Time High que significa o valor de cotação máximo que uma criptomoeda já atingiu no mercado até um determinado momento desde que foi criada e lançada.

3. ATM

Já ATM é a sigla para Automated Teller Machine que, em potuguês, pode ser traduzido como caixa eletrônico. Essas máquinas permitem que usuário faça compra e venda de criptomoedas promissoras usando cartão de débito ou dinheiro. São bem comuns nos Estados Unidos e na Europa;

4. Baleia ou Whale

Baleia ou Whale é o termo empregado para caracterizar uma pessoa que detém um alto volume de criptomoedas que, ao fazer grandes movimentações de venda, pode interferir na cotação do mercado. É uma analogia à baleia que, ao nadar no oceano, movimenta grandes volumes de água por causa do seu tamanho. 

5. Bear Market

Bear Market é um termo emprestado do mercado financeiro tradicional que significa que os preços dos ativos estão caindo e no qual os mercados apresentam sucessivas quedas, com o pessimismo tomando conta dos tomadores de decisão.

Tem esse nome por se parecer com o ataque de um urso, normalmente de cima para baixo, ao usar suas garras e força para esmagar suas vítimas. 

6. Blockchain 

Blockchain é o nome dado ao sistema onde são feitas e registradas todas as transações de compra e venda de Bitcoin e outras criptomoedas. É um ambiente digital público com rede criptografada e, por isso, altamente seguro. 

7. BTC 

No dicionário cripto, BTC é a abreviação do nome da criptomoeda Bitcoin.

8. BTD 

BTD é um acrônimo para Buy the Dip que, em tradução livre, significa ‘comprar na queda’. Essa é uma estratégia de compra dos usuários do mercado cripto que esperam o valor de uma criptomoeda que está em alta diminuir um pouco antes de comprá-la para depois vendê-la quando sua cotação voltar a subir novamente.

9. Bull Market

O bull market é o momento de euforia nos mercados no qual investidores e analistas estão otimistas com as perspectivas futuras das empresas e do país como um todo. A consequência imediata desse movimento é o aumento generalizado do preço dos ativos e da melhora nas expectativas, o que retroalimenta essa tendência de alta.

10. Carteira 

No dicionário cripto, carteira ou wallet (inglês) é onde um comprador guarda suas moedas digitais de forma segura. São softwares que permitem gerenciar saldo e todas as transações que o dono da carteira precisa executar.

11. Cold wallet 

Já a cold wallet é o termo usado para se referir a versão da carteira de criptomoedas offline, ou seja, aquela em que os ativos digitais comprados ficam em uma plataforma não conectada à internet. O objetivo é proteger as moedas de acesso não autorizado, ataques de hackers e outras ações de invasão. 

12. Day trader 

Outro termo do dicionário cripto é day trader que significa uma pessoa que faz operações de compra e venda diariamente e de forma rápida para obter lucros (mesmo que menores), aproveitando as oscilações de cotação das criptomoedas. 

13. DeFI 

DefI é outro termo do dicionário cripto que engloba as Finanças Descentralizadas que tem como objetivo oferecer os produtos financeiros tradicionais como empréstimos, seguros e investimentos, mas incorporando os conceitos de blockchain, descentralização e transparência.

14. ETH

ETH é a abreviação do nome da criptomoeda Ether, a segunda maior moeda digital apenas atrás do Bitcoin.

Leia também: Onde comprar Ethereum? 2 maneiras de ter esse ativo digital na carteira.

15. Exchange

No dicionário cripto, exchange é o termo utilizado para as corretoras digitais de criptomoedas (como a Bitso!) por meio das quais são feitas as operações de compra e venda de moedas digitais.

16. FOMO

FOMO é o acrônimo para ‘fear of missing out’, ou seja, é o medo de perder alguma coisa, ou, no caso do mercado cripto, uma oportunidade de compra de uma moeda digital que se mostrou vantajosa. 

17. FUD

Outro acrônimo do dicionário cripto é FUD. O ‘Fear, Uncertainty and Doubt’, em tradução livre, ‘medo, incerteza e dúvida’ que muitos compradores sentem em relação às transações no mercado de criptomoedas pela alta volatilidade dos ativos. 

18. GPU

Uma Graphic Processing Unit (GPU) é a unidade de processamento gráfico responsável por fazer a renderização digital em um sistema de computador. Por ter mais potência, velocidade e eficiência, é melhor que um CPU tradicional para fazer a mineração no blockchain.

19. Gráficos 

Gráficos é uma ferramenta visual que permite observar a oscilação de preços de uma criptomoeda ao longo do tempo. Normalmente, o período que está sendo analisado pode ser customizado por quem analisa a informação.

20. HODL (ou hold)

O termo HODL entrou para o dicionário cripto por causa de um erro de digitação da palavra “hold” — que significa “segurar” em inglês — por um usuário do fórum Bitcointalk, em 2013. No contexto do mercado de criptomoedas, significa manter/segurar seus ativos digitais para venda mesmo em caso de quedas bruscas.

21. Hot wallet

Hot wallet é o termo usado para as carteiras de criptoativos que estão online, conectadas a internet e prontas para serem movimentadas. É o oposto de cold wallet. 

22. ICO 

ICO é outro termo do dicionário cripto que significa a oferta inicial de um token. Antes desse evento, são divulgadas informações importantes sobre o projeto e seus desenvolvedores

para que a pessoa que analisa tome a melhor decisão. É comparável ao IPO que é quando uma empresa lança ações na Bolsa.

23. Input

Input é o endereço do ponto de origem de uma transação bitcoin, que pode ter mais de um endereço.

24. Kilohashes

O termo kilohashes se refere à validação e mineração de criptomoedas e significa mil hashes por segundo (1.000 h/s).

25. Lastro

Lastro é um conceito da área de economia que significa a associação da garantia de um ativo digital a outro ativo com valor tangível como dinheiro, ouro, etc. 

26. Mineração 

Mineração, outro termo popular do dicionário cripto, é o processo de geração de criptoativos e também funciona como forma de validação de uma transação na rede blockchain.

27. NFT

Outra palavra importante do dicionário cripto é o NFT que significa token não fungível e pode ser uma obra de arte, uma imagem, uma foto, um item colecionável ou qualquer bem único e original com valor monetário. A proposta é entregar aos seus detentores algo exclusivo que, devido à sua singularidade, tem características de individualidade e escassez.

28. Phishing

O phishing é uma técnica criminosa para aplicação de golpes online. No mercado de criptomoedas, os criminosos enviam um e-mail informando que é preciso uma atualização de segurança na carteira. Porém, ao inserir a chave privada e senha pelo link enviado, os golpistas roubam o acesso e limpam a conta. 

29. Pool

Uma pool ou pool de mineração é um grupo que minera criptomoeda de forma conjunta. Como o processo exige energia e potência, as pessoas se unem para otimizar o processo e diminuir os custos.  

30. PoW

Proof of Work ou apenas PoW é a prova de que uma transação foi validada e legitimada no mercado. Cada operação tem um código que é enviado à rede blockchain e os mineradores concorrem para decodificá-la primeiro. 

31. Pump e dump

No dicionário cripto, pump e dump são dois movimentos diferentes. Pump é o aumento da cotação de uma criptomoeda repentinamente. Já, dump é o movimento contrário, ou seja, quando a cotação baixa e a moeda digital desvaloriza muito rápido.

Fazer o pump e dump simultaneamente é considerado fraude, pois o fraudador aumenta deliberadamente o preço de um ativo e depois realiza operações falsas para vendê-lo quando o valor estiver realmente alto.   

32. Rekt

O rekt é uma expressão utilizada para falar de uma pessoa que perdeu todos ou quase todos os seus criptoativos por causa de uma oscilação repentina na cotação.

33. Rug pull

Rug pull é uma expressão em inglês que pode ser traduzida como “puxador de tapete”. No dicionário cripto, essa ação caracteriza um golpe em que um desenvolvedor divulga um novo projeto, por exemplo, um novo token, vende e depois some com as criptomoedas obtidas com a operação falsa.

34. Satoshi ou SAT

Além de ser o nome do misterioso criador do Bitcoin (desconhecido até hoje), no dicionário cripto, o termo Satoshi ou SAT também representa a menor fração possível do Bitcoin que é 0,00000001 BTC (que equivale a 1 Satoshi).

35. Shill

Shill é como é chamada uma pessoa que promove de forma maliciosa uma criptomoeda para inflar seu valor, atrair novos investidores e aumentar seus próprios lucros.

36. Shitcoin

O shitcoin também faz parte do dicionário cripto e é o nome dado às criptomoedas que possuem baixa ou não tem reputação no mercado.

37. Stablecoin

Uma stablecoin é uma criptomoeda que tem seu valor baseado em uma moeda convencional como o dólar, por exemplo, ou outro ativo de valor. O objetivo é que elas mantenham uma paridade 1:1 com um ativo da economia real, como moedas fiduciárias ou metais preciosos.

38. Ticker

No dicionário cripto, o ticker é o nome dado aos símbolos de cada criptomoeda como, por exemplo, LTC (Litecoin) e XRP (Ripple).

39. Token

Token é um tipo de ativo digital construído sobre uma infraestrutura já existente, ou seja, que roda em uma blockchain já estabelecida – a mais importante e popular talvez seja a blockchain Ethereum, no qual milhares de tokens são transacionados. 

40. Volatilidade

A volatilidade é uma característica que marca a oscilação dos preços de uma criptomoeda ao longo do tempo no mercado cripto. Quanto maior a variação, mais volátil uma criptomoeda é considerada.

Coloque seu conhecimento em prática

Agora que você tem um dicionário cripto como base, pode entrar nesse mercado com mais conhecimento e pode consultar esse material a hora que quiser!

Para atuar com segurança, procure uma exchange de criptomoedas (ou corretora) que é a responsável por possibilitar a compra, venda e armazenamento de criptoativos.

A Bitso é uma exchange de criptomoedas internacional que permite fazer transações em poucos minutos e com muita segurança.

A partir de R$ 25, você pode começar a explorar o mundo dos ativos digitais hoje mesmo. Como fazer isso? Acesse agora mesmo o site da Bitso ou baixe o app, disponível para Android e iOS, crie a sua conta e junte-se aos mais de 4 milhões de clientes da nossa plataforma.

Quer ficar expert no mundo das cripto? No Blog da Bitso, você tem acesso fácil a esse tipo de informação e muito mais relacionado ao mundo das criptomoedas.

O Time Bitso é formado por especialistas em criptomoedas, garantindo informações seguras e precisas sobre o mundo cripto.